Ucrânia propõe negociações com a Rússia em Mariupol para retirar guarnições militares e civis

·1 min de leitura
Fumaça sobe acima da siderúrgica Azovstal em Mariupol

(Reuters) - Negociadores da Ucrânia propuseram nesta quarta-feira realizar discussões especiais com a Rússia em Mariupol, sem apresentar condições, em uma tentativa de retirar tropas e civis da cidade sitiada.

O negociador Mykhailo Podolyak tuitou nesta quarta-feira que as negociações podem ser “um a um. Dois a dois. Para salvar nossos rapazes, o (batalhão de extrema-direita) Azov, militares, civis, crianças, os vivos e os feridos”.

A Ucrânia acusou as forças russas nesta quarta-feira de não respeitarem um cessar-fogo local longo o suficiente para permitir que muitas mulheres, crianças e idosos fujam da cidade, que tem sido reduzida a cinzas pelas forças russas.

Os soldados restantes escondidos em uma siderúrgica ignoraram um ultimato da Rússia por rendição. David Arakhamia, outro negociador, afirmou em uma publicação online que ele e Podolyak estavam em constante contato com as forças ucranianas na cidade.

“Hoje (quarta-feira), em uma conversa com os defensores da cidade, uma proposta foi apresentada para realizar negociações diretas, no local, sobre a evacuação de nossas guarnições militares”, disse. “Da nossa parte, estamos prontos para realizá-las a qualquer momento, assim que recebermos confirmação do lado russo.”

(Reportagem de David Ljunggren e Ron Popeski)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos