Ucrânia questiona aquisição do Twitter após divergências com Musk

KIEV (Reuters) - Um alto funcionário ucraniano expressou ceticismo neste sábado sobre a aquisição do Twitter por Elon Musk, cujas relações com Kiev têm sido precárias desde que o bilionário sugeriu no início de outubro que a Ucrânia deveria desistir de terras ocupadas pela paz.

O assessor presidencial ucraniano Mykhailo Podolyak tuitou nesta sábado: "O pássaro realmente conseguiu sua liberdade ou acabou de se mudar para uma nova gaiola?"

Após concluir a aquisição da rede social, Musk expressou desejo de sacudir a moderação de conteúdo do Twitter e tuitou que "o pássaro foi libertado", em referência ao símbolo da plataforma.

Podolyak apontou para a "moderação incomum" de Musk no site.

Musk provocou a fúria de Kiev e elogios de Moscou este mês quando postou uma enquete no Twitter na qual propunha que a Ucrânia cedesse permanentemente a Crimeia à Rússia, que novos referendos fossem realizados sob os auspícios da ONU para determinar o destino do território controlado pela Rússia e que a Ucrânia concordasse com a posição de neutralidade.

A reação de Kiev à aquisição do Twitter pelo bilionário também contrastou fortemente com a de Moscou, já que o vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, Dmitry Medvedev, tuitou seus parabéns a Musk na sexta-feira.

"Boa sorte (Elon Musk) em superar o preconceito político e a ditadura ideológica no Twitter. E pare com esse negócio de Starlink na Ucrânia", escreveu Medvedev, referindo-se aos milhares de dispositivos de internet conectados por satélite que a empresa SpaceX, de Musk, opera na Ucrânia.

Os Starlinks são uma ferramenta de comunicação fundamental para as forças armadas da Ucrânia, uma vez que a conexão móvel e à internet regular está ausente ou não é segura em muitas áreas da linha de frente do confronto.

O bilionário tuitou na sexta-feira que o Twitter formará um conselho de moderação de conteúdo "com pontos de vista amplamente diversos".

(Por Max Hunder)