Ucrânia reivindica controle total de Lyman, principal centro logístico, e visa ganhos

Soldados ucranianos em cima de um tanque, em meio à invasão da Ucrânia pela Rússia, na cidade de Lyman

Por Tom Balmforth e Pavel Polityuk

KIEV (Reuters) - A Ucrânia reivindicou neste domingo o controle total do centro logístico oriental de Lyman, o ganho mais significativo de Kiev no campo de batalha em semanas, fornecendo um potencial ponto de partida para novos ataques ao leste enquanto aumenta ainda mais a pressão sobre o Kremlin.

O revés pungente para o presidente russo, Vladimir Putin, veio depois que ele proclamou a anexação de quatro regiões que cobrem quase um quinto da Ucrânia na sexta-feira, uma área que inclui Lyman. Kiev e o Ocidente condenaram a proclamação como uma farsa ilegítima.

"Desde 12:30, Lyman está totalmente liberada", disse o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy em um pequeno vídeo em seu canal Telegram. "Obrigado às nossas tropas... Glória à Ucrânia!"

O Ministério da Defesa da Rússia disse no sábado que estava retirando tropas da área "em relação à criação de uma ameaça de cerco".

O órgão não mencionou a cidade em sua atualização diária sobre os combates na Ucrânia no domingo, embora tenha dito que as forças russas destruíram sete depósitos de artilharia e mísseis nas regiões ucranianas de Kharkiv, Zaporizhzhia, Mykolaiv e Donetsk.

As forças russas capturaram Lyman da Ucrânia em maio e a usaram como centro de logística e transporte para suas operações no norte da região de Donetsk. Perdê-la é a maior derrota da Rússia no campo de batalha desde a contra-ofensiva relâmpago da Ucrânia na região nordeste de Kharkiv no mês passado.

Serhiy Gaidai, governador da região de Luhansk, vizinha de Donetsk, disse que o controle sobre Lyman pode ser um "fator-chave" para ajudar a Ucrânia a recuperar o território perdido em sua região, cuja captura total Moscou anunciou no início de julho, após semanas de avanços esmagadores.

O Ministério da Defesa do Reino Unido descreveu Lyman como operacionalmente importante por comandar uma importante travessia rodoviária sobre o rio Siverskyi Donets, atrás da qual a Rússia vem tentando consolidar suas defesas.

A Rússia provavelmente sofreu pesadas baixas durante a retirada, disse o ministério em comunicado. A Rússia tinha de 5.000 a 5.500 soldados na cidade antes do ataque ucraniano, disse um porta-voz das forças do leste da Ucrânia no sábado.

As áreas que Putin reivindicou como anexadas --as regiões de Donbas de Donetsk e Luhansk, além de Kherson e Zaporizhzhia no sul-- formam uma faixa territorial equivalente a 18% da superfície total da Ucrânia.

RAIVA RUSSA

Os contratempos no campo de batalha desencadearam uma nova onda de críticas na Rússia sobre como sua operação militar está sendo tratada. O Ministério da Defesa do Reino Unido disse que isso provavelmente se intensificará com novos contratempos.

Os Estados Unidos, cuja ajuda militar é amplamente vista como crucial para os sucessos da contra-ofensiva, saudaram o mais recente ganho ucraniano.

"Estamos muito encorajados com o que estamos vendo agora", disse o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, no sábado, dizendo em entrevista coletiva que a captura de Lyman criaria novos problemas para os militares russos.

(Por Tom Balmforth e Pavel Polityuk; reportagem adicional de redações da Reuters)