Ucrânia acusa Rússia de 'crimes de guerra' contra civis

·2 min de leitura
Ucrânia quer punir Rússia por 'crimes de guerra' contra civis. Foto: Getty Images.
Ucrânia quer punir Rússia por 'crimes de guerra' contra civis. Foto: Getty Images.
  • O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, acusou as forças da Rússia de atacar civis, incluindo crianças;

  • O primeiro-ministro da Ucrânia, Denys Shmyhal, disse que a ofensiva russa atacou deliberadamente a infraestrutura civil, incluindo jardins de infância e blocos residenciais;

  • Denys Shmyhal disse que o “comando russo certamente verá um tribunal militar”.

A Ucrânia acusa a Rússia de cometer “crimes de guerra” ao tentar enfraquecer a resistência do país. No momento, forças ucranianas se envolvem em batalhas devastadoras com as tropas russas em diversas cidades da região.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse neste domingo (27) que as forças russas atacaram civis, incluindo crianças, e pediu uma investigação internacional sobre o conflito.

Já o Ministério da Defesa da Rússia afirmou anteriormente que os alvos são apenas a infraestrutura militar, e disse em comunicado que as “Forças Armadas da Federação Russa não atacam cidades e vilas, e tomam todas as medidas para salvar a vida de civis".

Zelensky rejeitou a afirmação, e disse que “mentiram quando disseram que não teriam como alvo a população civil."

"Desde as primeiras horas da invasão, as tropas russas estão atacando a infraestrutura civil", disse o presidente ucraniano. Segundo ele, o país está “documentando os crimes”.

No sábado (26), o primeiro-ministro da Ucrânia, Denys Shmyhal, afirmou que a ofensiva russa estava falhando, e que atacava deliberadamente a infraestrutura civil, incluindo jardins de infância, blocos residenciais e “ônibus com crianças", e classificou as ações como “crimes de guerra”.

Em coletiva, Shmyhal disse que o “comando russo certamente verá um tribunal militar”, e que “o inimigo certamente será punido por matar crianças ucranianas."

Em Kiev, capital da Ucrânia, civis acordaram neste domingo para encontrar a cidade sob controle ucraniano, mesmo após duas grandes explosões a cerca de 30 quilômetros ao sul da região.

Contudo, combates irromperam pelas ruas de Kharkiv, segunda maior cidade do país, depois que tropas russas entraram na região. “Não deixem seus abrigos!”, publicou Oleh Synehubov, chefe da Administração Estatal Regional de Kharviv, em rede social neste domingo.

As informações são CNN.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos