Ucrânia inicia julgamento de militar russo que matou idoso na guerra

Vadim Shishimarin, militar russo de 21 anos, começou a ser julgado por crimes de guerra na Ucrânia (Foto: REUTERS/Viacheslav Ratynskyi)
Vadim Shishimarin, militar russo de 21 anos, começou a ser julgado por crimes de guerra na Ucrânia (Foto: REUTERS/Viacheslav Ratynskyi)

Resumo da notícia

  • Ucrânia começou o julgamento de militar russo acusado de crimes de guerra

  • Vadim Shishimarin tem 21 anos e teria atirado em idoso ucraniano

  • Ao longo do processo, Shishimarin ficará preso

A Justiça da Ucrânia começou a julgar nesta sexta-feira (13) um militar russo, de 21 anos de idade, acusado de crimes de guerra. Foi realizada uma audiência preliminar. As acusações da Procuradoria-Geral ucraniana são de que o homem violou “as leis e costumes de guerra com assassinato premeditado”. As informações são da agência Reuters.

O acusado é Vadim Shishimarin, comandando de uma unidade do exército russo. Ele teria matado um idoso de 62 anos em Chupakhivka, na região de Sumy, em 28 de fevereiro.

A Procuradoria-Geral da Ucrânia afirma que Shishimarin estava fugindo do exército russo e, por isso, ele e mais quatro colegas roubaram um carro. Quando estava fugindo, viram um morador da aldeia, que estava desarmado, e andava de bicicleta e falava ao telefone.

“Pela janela aberta do carro, com um rifle Kalashnikov, o réu disparou vários tiros na cabeça da vítima de 62 anos”, relatou a Procuradoria-Geral. “O homem morreu no local, a apenas alguns metros da sua própria casa.”

Segundo a Reuters, o advogado de Shishimarin, Viktor Ovsyannikov, o russo vai dizer posteriormente se nega ou não a acusação. No dia 4 de maio, o Serviço de Segurança da Ucrânia compartilhou um vídeo, em que o militar adite ter matado o idoso.

Uma nova sessão acontecerá em 18 de maio. Ao longo do processo, Vadim Shishimarin ficará preso. Caso ele seja condenado, o russo poderá ter uma pena de 10 a 15 anos de prisão – ou ser condenado à prisão perpétua.

A estimativa da Procuradoria-Geral da Ucrânia é de que os russos tenham cometidos cerca de 10 mil crimes de guerra desde o início da invasão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos