Ucraniana se torna segunda mulher a receber Medalha Fields, prêmio dado também a outros três matemáticos

Quatro matemáticos receberam a Medalha Fields na capital finlandesa, Helsinque, nesta terça-feira, incluindo a ucraniana Maryna Viazovska, a segunda mulher a receber o prestigioso prêmio desde sua criação, em 1936.

Guerra: Severodonetsk cai e Exército russo está próximo de dominar província ucraniana

Imprensa local: Rússia está recrutando detentos para lutar na guerra na Ucrânia

Os outros três ganhadores do prêmio considerado o equivalente a um "Nobel de Matemática" são o francês Hugo Duminil-Copin, o britânico James Maynard e June Huh, que nasceu nos EUA e cresceu na Coreia do Sul.

A medalha, que é concedida a cada quatro anos, premia "descobertas excepcionais" de pesquisadores com menos de 40 anos.

O anúncio foi feito em uma cerimônia realizada em Helsinque durante o Congresso Internacional de Matemáticos. A cerimônia foi inicialmente planejada em São Petersburgo, mas foi transferida para a capital da Finlândia devido à invasão da Ucrânia.

'Dor insuportável': mãe de brasileiro morto na guerra da Ucrânia se despede em post

Vídeo: Aliados russos na Guerra da Ucrânia exibem bandeira que pertencia a brasileiro morto em combate

Maryna Viazovska é a segunda mulher a ganhar essa prestigiosa medalha em seus 80 anos de existência.

Viazovska nasceu em 1984 na Ucrânia, quando ainda fazia parte da União Soviética. Desde 2017, é professora da Escola Politécnica Federal de Lausanne, Suíça.

Ela recebeu o prêmio por resolver uma versão de um problema geométrico secular, no qual demonstrou o empacotamento mais denso de esferas idênticas em oito dimensões. O "problema de empacotamento de esferas" remete ao século 16, quando foi levantada a questão de como balas de canhão deveriam ser empilhadas para obter a solução mais densa possível.

A primeira mulher a receber a Medalha Fields foi Maryam Mirzakhani em 2014, uma matemática iraniana que morreu três anos depois após uma batalha contra o câncer.

Outros premiados

Os trabalhos do francês Duminil-Copin, 36, concentram-se no ramo matemático da física estatística. É professor do Institut des Hautes Etudes Scientifiques, perto de Paris, e da Universidade de Genebra. Ele foi premiado por ter resolvido "problemas de longa data na teoria probabilística das transições de fase", que, segundo o júri, abriu várias novas direções de pesquisa.

James Maynard, 35, é professor da Universidade de Oxford, no Reino Unido. Ele recebeu a medalha "por (suas) contribuições à teoria analítica dos números, que permitiram avanços importantes na compreensão da estrutura dos números primos e na aproximação diofantina".

June Huh, 39, professor da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, recebeu o prêmio por "transformar" o campo da combinatória geométrica, "usando métodos da teoria de Hodge, geometria tropical e teoria da singularidade", disse o júri.

A geometria tropical recebeu seu nome em homenagem ao pioneiro da disciplina, o cientista da computação brasileiro Imre Simon, em 2009.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos