Ucranianos celebram Natal ortodoxo na Europa com uma oração para voltar para casa

Por Agnieszka Pikulicka-Wilczewska e Riham Alkousaa

VARSÓVIA/BERLIN (Reuters) - Victoria, uma refugiada ucraniana, está comemorando o Natal ortodoxo na Polônia com uma simples oração --que no próximo ano ela volte para casa.

Ela é um dos milhões de ucranianos que fugiram da invasão russa de sua terra natal e comemoram o feriado com emoções confusas: alívio por estarem seguros, mas tristeza por estarem longe de suas famílias.

"O importante é que ainda é um feriado em família... Esperamos comemorar o próximo Natal com nossa família em casa", disse Victoria.

Em uma missa de véspera de Natal à luz de velas sob as grandes cúpulas da Catedral de Santa Maria Madalena em Varsóvia, o padre Doroteusz Sawicki dá as boas-vindas aos recém-chegados que vieram celebrar o nascimento de Cristo.

"Dois ou três anos atrás, poderíamos nos perguntar se alguém iria bater em nossa porta, agora sabemos que alguém já está lá", disse ele à Reuters.

"Muitos de nossos irmãos que vieram à Polônia por causa da guerra não podem voltar para sua terra natal. Eles vão comemorar conosco."

Muitos cristãos ortodoxos comemoram o Natal em 7 de janeiro, mas o apoio da Igreja Ortodoxa Russa à guerra de Moscou na Ucrânia irritou muitos crentes ortodoxos ucranianos e dividiu a Igreja Ortodoxa mundial.

Este ano, alguns ucranianos optaram por celebrar o Natal com os católicos em 25 de dezembro em protesto contra a agressão russa. Mas muitos se apegaram à tradição ortodoxa.

Para Victoria, que fugiu de sua cidade natal, Irpin, com seu filho em março do ano passado, este é seu primeiro Natal longe de casa.

"Moramos no porão por quase duas semanas, depois saímos quando os bombardeios começaram e partes da cidade estavam em ruínas", disse Victoria, que não quis dar seu nome completo.

(Por Agnieszka Pikulicka-Wilczewska)