Ucranianos das cidades reconquistadas recordam ocupação russa

A ocupação russa nas cidades ucranianas deixa marcas que ficarão para sempre. Os residentes da aldeia recuperada de Vysokopillia, na região de Kherson, no sul da Ucrânia, prestam homenagem àqueles que morreram na guerra e tentam recolher aquilo que ainda pode ser recuperado, no meio dos destroços.

Volodymyr, por exemplo, recorda os vizinhos que morreram e não consegue conter a emoção.

"Esta é a sepultura de Lukashev que foi alvejado na fábrica de tijolos. Aqui está a do casal, os Lanevichs, Svitlana e o seu marido. Desculpe, eu simplesmente não consigo...”, disse, em lágrimas.

MTI
Homem chora ao recordar morte dos vizinhos na guerra. - MTI

Os habitantes regressam, de forma gradual, para tentar reparar as casas destruídas. Esta aldeia, que tinha cerca de quatro mil pessoas antes da guerra, foi das primeiras a ser libertada, na mais recente contraofensiva ucraniana, no leste do país. De acordo com os locais, pelo menos 13 pessoas perderam a vida nesta aldeia durante a ocupação russa, três delas alvejadas por militares russos.

"A minha filha, de quatro anos de idade sabe que aqui está um veículo de combate e ali um tanque e um morteiro”, disse outro residente.

A poucos quilómetros de Izium, também na região de Kherson, foi encontrada, esta semana, uma vala comum com dezenas de corpos. Esta descoberta acontece após ter sido encontrada, há duas semanas, outra sepultura, nas proximidades, com mais de 400 cadáveres.

Os habitantes locais falam num sentimento de medo constante predominante durante a ocupação de Moscovo.