Ucranianos preparam-se para um inverno aquecido a lenha e sem gás

Os ucranianos que vivem em Kramatorsk, cidade fortemente bombardeada pelos russos, começam a preparar-se para as temperaturas negativas do inverno. O gás foi cortado em maio na região de Donetsk, que é parcialmente controlada pelas forças russas.

Aos habitantes resta-lhes apanhar lenha. "Estamos muito preocupados porque o inverno vai ser muito duro. Vai ser desconfortável para nós", realça Volodymyr Tryfonov, de 62 anos.

Os habitantes também estão a preparar bunkers onde se podem juntar para ficarem mais quentes.

O presidente ucraniano tinha pedido uma retirada obrigatória dos civis da região de Donetsk, em julho.

A autarquia comprou uma série de salamandras para distribuir pelos habitantes.

Valentyna Glushchenko, diretora de um hospital local, receia não ter forma de manter os pacientes quentes: "Estou muito preocupada porque uma pessoa saudável pode sentir-se confortável em condições diferentes, mas uma pessoa doente precisa de uma temperatura específica. Precisa de calor mesmo durante o tratamento, operações e check-ups".

Mas os habitantes de Kramatorsk, prometem manter-se firmes.