Ucranianos voltam da Polônia para Páscoa especial em casa

·1 min de leitura
Maria Verbyana espera ônibus para a Ucrânia em Varsóvia

Por Joanna Plucinska e Kuba Stezycki

VARSÓVIA (Reuters) - Maria Verbyana, de 19 anos, se mudou para Varsóvia para escapar de Lviv, um mês atrás, em meio às ameaças de bombardeios russos. Mas, enquanto a Páscoa ortodoxa se aproxima, ela não pode imaginar ficar longe de seu padre e de sua família.

Na noite de quinta à noite, ela embarcou em um ônibus de volta para casa, determinada a passar a Páscoa fazendo trabalho voluntário para ajudar soldados ucranianos, tocando canções folclóricas e rezando e cantando ao lado do padre Taras.

Ela é uma das milhares de pessoas que devem retornar à Ucrânia para a Páscoa, apesar do risco contínuo de bombardeios enquanto os russos continuam a ofensiva no país, especialmente nas regiões leste e sul.

"A Ucrânia está hoje em um ponto culminante de sua história, e portanto, será a Páscoa mais especial e sagrada na história da Ucrânia", afirmou Verbyana.

"Um macaco com uma granada vive próximo a nós, então, nunca pode ser seguro, em qualquer lugar, mesmo em Lviv. Mas vamos esperar que essa Páscoa seja especial para a gente. E, de fato, o Senhor irá nos proteger."

Embora mais de cinco milhões de ucranianos tenham deixado o país desde o dia 24 de fevereiro, dados da agência de refugiados da ONU, a Acnur, mostram que mais de um milhão também já voltou. Não está claro quantos dos retornos são permanentes.

Os migrantes que escolheram voltar dizem que foram motivados por uma incapacidade de encontrar trabalho no exterior, ou pelo desejo de se reunirem com suas famílias, enquanto suas casas não estão sendo bombardeadas ou ocupadas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos