UE adiciona cláusulas contra variantes em novos acordos de aquisição de vacinas, dizem fontes

·1 minuto de leitura

BRUXELAS (Reuters) - A União Europeia está adicionando cláusulas aos contratos com as fabricantes de vacinas contra a Covid-19 que permitiriam ao bloco obter acesso a possíveis vacinas atualizadas que ofereçam melhor proteção contra variantes do vírus, disseram três fontes da UE.

Mais mutações contagiosas estão se espalhando rapidamente na UE e em todo o mundo, com a chamada variante britânica considerada por especialistas em saúde como a provável mutação prevalecente no continente.

Em novos contratos com fabricantes de vacinas, a UE está adicionando cláusulas que cubram explicitamente as variantes, disseram à Reuters três autoridades da União Europeia envolvidas nas negociações com as farmacêuticas.

Os fabricantes estão testando suas vacinas contra as variantes e também trabalhando em ajustes que possam torná-las mais eficazes contra as mutações do vírus.

Um funcionário de governo disse que as cláusulas permitirão à UE não comprar vacinas que não sejam eficazes contra variantes generalizadas e, em vez disso, solicitar versões atualizadas. No entanto, a fonte disse que as cláusulas eram vagas sobre a definição das variantes e o real poder legal que seria dado à UE.

As três fontes disseram que uma cláusula anti-variante foi incluída em um segundo contrato finalizado em fevereiro com a Pfizer e a BioNTech para o fornecimento de 300 milhões de doses adicionais de sua vacina contra Covid-19.

A Pfizer e a Comissão Europeia não responderam às solicitações de comentários.