UE adotará novas sanções contra Rússia e ajustes para evitar escassez de alimentos, dizem fontes

Bandeiras da UE do lado de fora da sede da Comissão Europeia em Bruxelas

BRUXELAS (Reuters) - A Comissão Europeia irá adotar nesta sexta-feira seu sétimo pacote de sanções contra a Rússia, que adicionará uma proibição à importação de ouro russo e ajustará as medidas restritivas existentes para evitar prejudicar as exportações de alimentos, disseram duas autoridades que pediram anonimato.

As novas medidas são consideradas "um pacote de manutenção e alinhamento", afirmou uma das fontes, referindo-se a ele como um "sexto e meio" conjunto de sanções por seu escopo limitado em comparação com rodadas anteriores que atingiram petróleo ou carvão da Rússia.

No entanto, algumas medidas podem ter um sério impacto nos setores afetados.

O rascunho do pacote, que precisa de aprovação dos governos da UE, inclui a proibição da importação de ouro russo para a UE, que seria aplicável a partir da adoção das novas sanções, conforme relatado pela Reuters antes do G7 concordar com a medida em junho.

Uma fonte disse que a medida também afetaria as importações de ouro russo por meio de terceiros países, mas não detalhou como funcionaria.

Bruxelas também reforçará as medidas existentes, com novas limitações às importações de bens que podem ser usadas ​​para fins militares, incluindo produtos químicos e máquinas, afirmou a fonte.

Novas pessoas e entidades vistas como próximas ao Kremlin também serão adicionadas à lista da UE que exige o congelamento de seus bens e a proibição de viagens, disseram três autoridades que não quiseram ser identificadas.

A Comissão também fará algumas mudanças nas sanções existentes para garantir que elas não afetem as exportações de alimentos e grãos pela Rússia, segundo as três autoridades da UE.

Os países africanos disseram que as sanções da UE contribuíram para a atual crise alimentar, causada principalmente pela guerra na Ucrânia e pelo bloqueio russo aos portos ucranianos de onde os cereais geralmente são exportados para o mundo.

A UE nega que suas sanções tenham afetado o comércio de alimentos. Ajustes nas medidas restritivas existentes visam garantir que as regras não sejam mal interpretadas pelos comerciantes, disse uma autoridade, observando que a proibição de acesso de navios russos aos portos da UE será ajustada para evitar confusão.

Sob essa medida, os navios russos já podem entrar nos portos da UE se transportarem alimentos ou medicamentos.

Os enviados da UE devem discutir o novo pacote na próxima semana para adoção final antes da pausa de verão no Hemisfério Norte.

(Por Francesco Guarascio; reportagem adicional de John Chalmers)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos