UE busca aproximação de ex-repúblicas soviéticas para suprir lacuna da Rússia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em visita oficial a Astana, o belga Charles Michel, presidente do Conselho Europeu, reuniu-se nesta quinta (27) com os presidentes de nações da Ásia Central que, até há pouco tempo, tinham na Rússia de Vladimir Putin o principal ponto de influência.

A líderes do Cazaquistão, Quirguistão, Uzbequistão, Tadjiquistão e Turcomenistão —todas ex-repúblicas soviéticas—, Michel disse que a União Europeia (UE) deseja emanar uma mensagem de "forte compromisso com a região".

O foco estaria no desenvolvimento de infraestrutura de transporte, e o bloco europeu já manifestou querer a região, rica em hidrocarbonetos, como uma sócia importante —em especial agora, com a crise energética causada pela dependência da Rússia.

O presidente do Conselho Europeu disse ainda considerar a visita uma prova do interesse mútuo e que o encontro eleva o nível das relações do bloco com as nações da Ásia Central.