UE 'confia' em acertar com Londres solução para questão da Irlanda do Norte

·2 minuto de leitura
O vice-presidente da Comissão Europeia, Maros Sefcovic

O vice-presidente da Comissão Europeia, Maros Sefcovic, disse nesta segunda-feira (28) "confiar" que é possível encontrar uma solução nas próximas 48 horas sobre as restrições de abastecimento para a Irlanda do Norte após o Brexit, que provocam fortes tensões entre Londres e Bruxelas.

As disposições aduaneiras específicas aplicadas após o Brexit para essa região britânica provocaram um conflito entre as duas partes, o qual a imprensa local nomeou de "guerra das salsichas", por envolver o envio para a Irlanda do Norte de carne procedente do restante do Reino Unido.

A tensão aumenta, porque a medida deve entrar em vigor nesta quinta-feira, 1º de julho, e o governo britânico pediu um adiamento de três meses para buscar uma solução.

"Embora não possa anunciar hoje o acordo formal da UE a pedido do governo britânico (...), confio em que possamos encontrar uma solução nas próximas 48 horas que satisfaça as necessidades e preocupações de ambas as partes", disse Sefcovic nesta segunda-feira ao comitê executivo do Parlamento regional da Irlanda do Norte.

"Espero que juntos possamos resolver o problema da carne refrigerada em 48 horas. Teremos três meses para fazer outra tentativa para solucionar este problema", acrescentou.

Sefcovic afirmou que a UE aborda esta questão com "uma mente aberta".

Em vigor desde 1º de janeiro e negociado como parte do acordo do Brexit, o "protocolo da Irlanda do Norte" mantém essa região britânica dentro do mercado único europeu e da união aduaneira, para evitar reimpor uma fronteira com a vizinha República da Irlanda, país-membro da UE.

Seu objetivo é preservar a frágil paz instaurada em 1998 após 30 anos de violento conflito entre republicanos católicos e unionistas protestantes norte-irlandeses.

O protocolo impõe, porém, controles aduaneiros às mercadorias que chegam de outras partes do Reino Unido à Irlanda do Norte. Para os unionistas, muito apegados a seu pertencimento à coroa britânica, trata-se de uma separação do restante do país.

Essa situação reacendeu nos últimos meses as tensões intercomunitárias na Irlanda do Norte.

pau-acc/mb/aa/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos