UE considera 'inaceitável' referência ao Holocausto feita por chanceler russo

O alto representante para a Política Externa da União Europeia (UE), Josep Borrell, considerou "inaceitável e desprezível", nesta quinta-feira (19), a referência ao Holocausto feita pela Rússia para condenar o apoio de países ocidentais à Ucrânia.

Na quarta-feira, o chanceler da Rússia, Sergei Lavrov, equiparou as ações atuais dos países ocidentais à "solução final" do regime nazista para exterminar judeus, por se propor a resolver "a questão russa".

"Como Hitler queria resolver a questão judaica, agora, os líderes ocidentais [...] afirmam sem rodeios que a Rússia deve sofrer uma derrota estratégica", disse Lavrov em entrevista coletiva.

Em sua resposta, Borrell assinalou que os comentários de Lavrov "estão completamente fora de lugar, são desrespeitosos e pisam na memória dos 6 milhões de judeus e de outras vítimas que foram sistematicamente assassinadas no Holocausto".

"A manipulação da verdade por parte do regime russo para justificar sua guerra ilegal de agressão contra a Ucrânia atingiu um novo ponto baixo inaceitável e desprezível", afirmou Borrell em comunicado.

Para o titular da diplomacia europeia, "não existe paralelo entre os crimes da Alemanha nazista e a ajuda internacional para a Ucrânia na defesa de seu território e sua população contra uma agressão injustificada".

ahg/mb/rpr/mvv