UE destaca proteção para migrantes venezuelanos na Colômbia

·1 minuto de leitura
Migrantes venezuelanos caminham por uma rodovia em Cúcuta, Colômbia, na fronteira com a Venezuela, em 2 de fevereiro de 2021

A União Europeia (UE) destacou nesta terça-feira (9) a "decisão histórica" tomada pela Colômbia de oferecer proteção temporária aos migrantes venezuelanos naquele país, gesto que deve "facilitar a integração ao trabalho e o acesso aos serviços sociais básicos".

Esta medida oferece aos migrantes venezuelanos "10 anos de proteção", destacou em nota o chefe da diplomacia da UE, Josep Borrell, e o comissário europeu para Situações de Crise, Janez Lenarcic.

As duas autoridades disseram que foi um gesto "notável, corajoso e sem precedentes".

A decisão "deve contribuir para reduzir o sofrimento dos migrantes venezuelanos na Colômbia e oferecer oportunidades para melhor assistência, incluindo vacinação contra a covid-19, proteção e soluções duráveis".

O governo colombiano fez o anúncio na segunda-feira sobre a regularização temporária dos venezuelanos.

Os estrangeiros beneficiados representam 56% dos 1,7 milhão que chegaram ao país fugindo da severa crise venezuelana.

"Tornamos pública a decisão de nosso país de criar um estatuto de proteção temporária na Colômbia que nos permita realizar um processo de regularização dos migrantes que estão em nosso país", disse o presidente Iván Duque.

O presidente explicou que os venezuelanos terão o status de proteção temporária por dez anos, período durante o qual poderão entrar dar entrada no processo pelo visto de residente caso decidam permanecer no país.

O anúncio da regularização dos venezuelanos veio depois que o presidente Duque recebeu duras críticas em dezembro por sua intenção de excluir os sem documentos do processo de vacinação em massa contra o coronavírus que, segundo o governo, terá início em 20 de fevereiro.

ahg/jz/jc