UE discutirá treinamento de tropas ucranianas e pode restringir vistos para russos

Bandeiras da UE em Bruxelas

Por Jan Lopatka e Sabine Siebold

PRAGA (Reuters) - Os ministros das Relações Exteriores da União Europeia, reunidos em Praga na terça e quarta-feira, podem concordar em restringir a emissão de vistos para russos e começar a debater uma proibição mais ampla de vistos de turistas, embora não haja um acordo sobre isso, disseram autoridades da UE.

A guerra de seis meses na Ucrânia continua sendo uma prioridade de política externa para o bloco e o veto de vistos para russos, promovido por alguns Estados membros, principalmente do leste, estará no topo da agenda.

Os ministros da Defesa do bloco, também reunidos em Praga na segunda e terça-feira, também discutirão opções para a criação de uma missão de treinamento militar da UE para a Ucrânia.

Vários países da UE vêm treinando soldados ucranianos há algum tempo, principalmente permitindo que eles operem armas que nações ocidentais estão entregando à Ucrânia para ajudar na luta contra a invasão da Rússia.

Ainda não está claro onde um programa de treinamento da UE poderia se basear e qual mandato ele poderia ter, disseram diplomatas da UE à Reuters antes da reunião dos ministros da Defesa.

Em uma sessão conjunta com representantes da ONU e da Otan, os ministros da Defesa também discutirão o futuro da missão de treinamento suspensa da UE no Mali e a força de paz da ONU Minusma, à medida que crescem as preocupações com o aumento da presença russa no país da África Ocidental.

Um diplomata da UE disse nesta segunda-feira que os ministros das Relações Exteriores podem concordar, em princípio, em suspender um acordo de facilitação de vistos com a Rússia, o que significaria que os russos pagariam 80 euros em vez de 35 euros por vistos da UE, e também enfrentariam um procedimento mais demorado.