UE pede a Hungria e Polônia que intensifiquem seu jogo democrático

Comissária europeia para Valores e Transparência, Vera Jourova

Por Gabriela Baczynska

BRUXELAS (Reuters) - A União Europeia disse para Hungria e Polônia nesta quarta-feira que melhorem a independência judicial e da mídia, bem como as salvaguardas anticorrupção, dizendo que as condições para liberar bilhões em ajuda para os dois países continuam sem solução e que preocupações sérias persistem.

A avaliação veio no novo relatório do estado de direito do Executivo da UE, que inclui dicas para melhorias democráticas em todos os 27 Estados membros do bloco, desde uma melhor divulgação financeira por autoridades até a digitalização da administração pública.

Mas os olhos estão voltados para os dois ex-países comunistas onde governos eurocéticos vêm travando batalhas cada vez mais amargas com a UE sobre imigração, direitos humanos, questões ambientais e valores democráticos.

"A guerra da Rússia na Ucrânia é outro lembrete da importância do nosso trabalho para defender e promover o estado de direito na UE e além", disse a comissária europeia para Valores e Transparência, Vera Jourova, ao apresentar o relatório.

"Só podemos permanecer críveis se a nossa própria casa estiver em ordem."

A Comissão com sede em Bruxelas está retendo o acesso de Budapeste a 15,5 bilhões de euros em fundos de estímulo destinados a ajudar a tirar as economias da crise provocada pela Covid e outros 36 bilhões de euros previstos para a Polônia, o maior país do leste da UE.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos