UE pede mais verificações de variantes da Covid por aumento de casos na China

Bandeiras da União Europeia do lado de fora da sede da Comissão Europeia em Bruxelas

Por Philip Blenkinsop

BRUXELAS (Reuters) - A União Europeia deve considerar a ampliação imediata do sequenciamento genômico de infecções por Covid-19 e o monitoramento de águas residuais, inclusive de aeroportos, para detectar quaisquer novas variantes devido ao aumento do vírus na China, disse a chefe de saúde do bloco.

Em uma carta aos ministros da Saúde dos 27 membros da UE, Stella Kyriakides afirmou que o bloco deveria estar "muito vigilante", já que a China suspendeu as restrições de viagem a partir de 8 de janeiro e dados epidemiológicos e de testes para a China são bastante escassos.

Em carta vista pela Reuters, Kyriakides aconselhou os ministros a avaliar suas práticas atuais de sequenciamento genômico do coronavírus "como uma etapa imediata".

Se o sequenciamento tiver sido reduzido, os países poderiam considerar ampliá-lo novamente, escreveu ela, acrescentando que é importante continuar ou iniciar a vigilância das águas residuais, incluindo esgoto dos principais aeroportos.

Se uma nova variante aparecer, o bloco precisa detectá-la com antecedência para reagir rapidamente, escreveu ela.

A carta, datada de 29 de dezembro, vem após reunião online de mais de 100 representantes de membros da UE, agências de saúde da UE e da Organização Mundial da Saúde para discutir como lidar com o surto na China.

Espera-se que especialistas em saúde realizem uma reunião de resposta à crise na próxima semana, de acordo com uma fonte da UE.