UFC Rio: Glover Teixeira e Deiveson Figueiredo podem levar Brasil a recorde de cinturões e superar 'Era de ouro'

De volta ao Rio de Janeiro após três anos, o UFC 283, que acontece neste sábado, na Jeunesse Arena, tem recordes à vista e motivos de sobra para o torcedor brasileiro comemorar. Isso porque, diferentemente de eventos anteriores, serão duas disputas de cinturão em terras cariocas: as de Glover Teixeira e Deiveson Figueiredo, que duelam nos pesos meio-pesado e mosca, respectivamente. Também há uma marca próxima a ser batida pelo Brasil.

Caso Glover e Deiveson vençam as suas disputas, o Brasil irá à inédita marca de cinco cinturões simultâneos, superando a atual fase e a 'Era de Ouro' de 2012, quando Anderson Silva, José Aldo, Júnior Cigano e Renan Barão eram campeões ao mesmo tempo.

Neste momento, Amanda Nunes detém os títulos dos pesos galo e pena feminino, enquanto Alex Poatan se sagrou campeão dos médios. Como Deiveson detém o cinturão no peso-mosca, a marca está igualada. Caso ele o mantenha e Glover retome o título, o recorde será superado.

A melhor histórico deste UFC 283 é de Glover Teixeira. Aos 43 anos, ele praticamente "salvou" a organização do Ultimate, que só definiu a luta principal do evento com menos de um mês para o seu início. Ele foi convocado de última hora para medir forças com o norte-americano Jamahal Hill, de 31. A situação também é curiosa porque, neste momento, a categoria não tem um campeão.

Jiri Prochazka, que era o campeão linear, sofreu uma lesão séria no ombro e, devido ao longo tempo que ficará afastado do octógono, abriu mão do cinturão. Em dezembro de 2022, no UFC 282, a luta principal do evento entre Jan Blachowicz e Magomed Ankalaev coroaria o novo dono do cinturão vago, mas terminou empatada na decisão dos juízes. Sendo assim, a divisão segue com o título vago.

Se vencer, Glover retomará o posto de campeão da categoria dos meio-pesados (93 kg). Em outubro de 2021, ele finalizou Jan Blachowicz e se tornou campeão do Ultimate aos 42 anos. Assim, foi o brasileiro mais velho a ficar com o cinturão na era moderna do UFC.

Se na categoria meio-pesados a busca é por um novo campeão, no peso-mosca o objetivo é unificar os cinturões. Por isso o brasileiro Deiveson Figueiredo irá enfrentar o seu principal rival e inimigo declarado, o mexicano Brandon Moreno.

Será o quarto combate entre os lutadores, a primeira vez que dois combatentes se enfrentam em uma tetralogia. Eles se enfrentaram pela última vez em janeiro de 2022, com o brasileiro vencendo por decisão unânime (triplo 48-47) e recuperando o cinturão da categoria.

O problema é que, quatro meses depois, ele sofreu uma lesão na mão e perdeu o cinturão linear. Brandon Moreno venceu Kai Kara-France em julho do ano passado e ficou com o título interino. Agora o duelo valerá a unificação.