UFMG entrega imagens que mostram estudante pouco antes de ter convulsões, diz família

A família da estudante de Química da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Juliana Vieira Ferreira Ribeiro, de 21 anos, disse que teve acesso às imagens das câmeras de segurança em que mostram momentos antes de a jovem ser encontrada tendo convulsões no campus Pampulha, na última quinta-feira. O conteúdo foi cedido pela instituição de ensino para ajudar a entender o caso e detalhado em nota enviada pelos parentes.

Polícia investiga: Estudante da UFMG sai do coma: 'está acordando, diz madrasta

Novo recurso: The Sims 4 permitirá aos jogadores escolher orientação sexual de personagens

Segundo a família, o vídeo mostra que a jovem atravessou a Avenida Antonio Carlos sozinha, chegou à portaria bem consciente e apresentou seu documento de identificação para entrar na sede da universidade. Em seguida, Juliana "caminhou tranquilamente até próximo ao prédio da Fafich (Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas) e, somente aí, demonstra de fato sentir algo", diz a nota.

Nesta terça-feira, a universitária saiu do coma. A melhora no quadro de saúde foi comemorado pelos parentes: "É com grande alegria que comunicamos que nossa filha despertou por volta das 10h de hoje, 19/07/2022. Ela respondeu bem a todos os testes até o momento e está realizando vários exames para poder ajudar com o diagnóstico efetivo do que houve com ela na noite da quinta-feira, 14/07", diz outro trecho do comunicado.

Ainda na nota, parentes relataram que a família recebeu ajuda de vários estudantes nos últimos dias. Eles afirmam que pediram ajuda numa rede social apenas porque precisavam obter informações de como "uma menina que estava se divertindo com alguns amigos" passou para "uma menina que é encontrada com convulsões e logo em seguida intubada e inconsciente".

O comunicado termina com agradecimentos: "Agradecemos a todos que puderam ajudar e solicitamos a todos que entendam nosso silêncio a partir de agora. À medida em que ela estiver bem poderá, com tranquilidade, se lembrar o que se passou durante este percurso e aí, sim, caso os exames ainda não demonstrem nada, talvez ajudar a descobrir o que de fato se passou".

A estudante foi transferida para Hospital Vila da Serra, em Nova Lima, na última segunda-feira. A possibilidade de o quadro de Juliana ser um efeito do consumo de drogas e álcool foi descartada por exames, de acordo com a família.

Em nota, a UFMG lamentou o ocorrido com a estudante Juliana e afirmou que universidade informou que, por volta das 22h15, a Divisão de Segurança Universitária foi acionada e acompanhou a chegada e o atendimento feito pela equipe de socorristas do Samu. "Desde então, a UFMG colocou-se à disposição da família, prestando-lhe as informações e oferecendo o apoio necessário", diz um trecho da nota.

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) afirmou que apura o caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos