Polícia alemã conclui caso de quadrilha que prostituía menino de 9 anos

Berlim, 11 jan (EFE).- A polícia da Alemanha revelou nesta quinta-feira detalhes de um caso de pedofilia que teve como vítima um menino de 9 anos anunciado na internet pela própria mãe para prostituição desde 2015.

A mãe do garoto, de 47 anos, e seu parceiro, de 37, que já havia sido acusado de pedofilia, estão detidos desde setembro de 2017, quando a polícia começou a investigação do caso, após ter recebido uma denúncia anônima.

A operação policial terminou com a prisão de mais seis homens que teriam abusado do menino. Entre eles, um espanhol de 32 anos, preso em seu país de origem, e os outros cinco, detidos em três nações diferentes.

A polícia alemã disse que está interrogando os outros seis envolvidos, embora não tenha revelado se eles confessaram o crime.

"Eles estão fornecendo algumas informações", disse o procurador-geral Michael Mächt, sem entrar em mais detalhes.

Segundo um porta-voz da polícia do estado de Baden-Württemberg, no sudoeste da Alemanha, os oito são acusados de terem cometido "sérios abusos sexuais" contra a criança.

De acordo com o Departamento de Investigação Criminal (LKA) do estado, trata-se do caso "mais grave de abusos sexuais que ocorreram até agora em Baden-Württemberg".

A polícia já havia detido a mãe do menino e seu parceiro cinco dias após o início da investigação, em setembro.

De acordo com a corporação, desde setembro a criança está sob a proteção da assistência social.

Os abusos aconteceram desde 2015 na cidade de Friburgo, no sudoeste da Alemanha, e em outros lugares.

Segundo a investigação, um dos detidos viajou até Karlsruhe, no sul do país, para ter relação sexual com o menino e, quando foi preso, estava com diversos instrumentos como algemas. EFE