Um ano após crime, irmã de George Floyd recusa reunião com Biden: "Quebrou promessa"

·3 minuto de leitura
Bridgett fala no microfone, ao lado de dois homens de máscara
Irmã de George Floyd, Bridgett afirmou que deixou de comparecer a encontro com Biden pois ele 'quebrou promessa' sobre reforma policial

A morte de George Floyd, ocorrida há um ano durante uma detenção policial na cidade americana de Minneapolis, está sendo lembrada nesta terça-feira (25/05) em protestos e homenagens ao redor dos Estados Unidos e do mundo, marcando também uma promessa não cumprida pelo presidente Joe Biden.

Floyd, um homem negro, morreu em 25 de maio de 2020 após ser sufocado por cerca de nove minutos sob o joelho do policial Derek Chauvin, que foi condenado por assassinato em abril deste ano. Ele chegou a ser levado para o hospital, mas morreu uma hora depois.

Outros três policiais envolvidos na ação devem ser julgados em março de 2022. Eles detiveram Floyd após receberem um chamado acusando-o de tentar usar uma cédula falsa de dinheiro em uma loja de conveniência.

A morte dele gerou deste protestos globais pedindo igualdade racial e o fim da violência policial.

Mulher toca violino em frente a grande foto do rosto de Floyd
Protestos e shows em homenagem a Floyd, como este em Minneapolis, foram programados para esta terça-feira
Flores e grafite com retrato de Floyd em frente a loja de conveniência, em foto diurna
Homenagens a Floyd no local em que ele foi morto há um ano, em Minneapolis

A família de Floyd foi convidada para um encontro privado na Casa Branca com o presidente Joe Biden e a vice Kamala Harris, que durou cerca de uma hora. Parte da família falou a jornalistas depois do encontro.

Um dos irmãos de George Floyd, Terrence, disse que o encontro nesta terça-feira foi "uma honra" e uma "conversa produtiva".

Pouco depois do assassinato, Biden havia definido um prazo de um ano para aprovar no Congresso uma ampla reforma nas polícias, o que não foi cumprido. O projeto ainda está em tramitação, mas enfrenta resistência no Senado.

Brandon, um dos sobrinhos de George Floyd, afirmou após encontro com Biden que o presidente está trabalhando para que a lei "correta" seja aprovada, em vez de correr para que qualquer texto seja ratificado.

Parentes de Floyd, homens aparecem de máscara e engravatados falando com a imprensa em área externa
Parte da família de Floyd falou com a imprensa depois de encontro com Biden na Casa Branca
Em foto aproximada do rosto, Philonise aparece de óculos e máscara preta
Philonise Floyd usa máscara com dizeres em inglês: 'A dura realidade; 9 minutos e 29 segundos; Justiça por George', em referência ao tempo que o irmão foi sufocado
Jornalistas reunidos em volta de família de Floyd, com Casa Branca ao fundo
Encontro privado da família de Floyd com Biden na Casa Branca durou cerca de uma hora

Mas uma das irmãs de Floyd deixou de comparecer à Casa Branca argumentando que Biden "quebrou a promessa" sobre a reforma.

"Ele quebrou a promessa, mas vou dar a ele mais algumas semanas", disse Bridgett, em um protesto em homenagem ao irmão em Minneapolis, no Estado de Minnesota.

"Organize sua gente!", acrescentou a irmã, cobrando Biden pela negociação com parlamentares.

Os democratas, correligionários de Biden, conseguiram aprovar um texto na Câmara dos Representantes, mas no Senado enfrentam a oposição de republicanos em medidas que estes consideram impraticáveis. Um ponto sensível e bloqueado por conservadores é a definição de quando um policial pode ser julgado criminalmente, perdendo sua "imunidade qualificada" — proteção que costuma dificultar que um agente seja julgado individualmente na Justiça comum por atos durante o trabalho.

Depois do encontro com a família de Floyd, Biden discursou afirmando que as negociações no Congresso estão "em andamento".

"Minha esperança é que eles (parlamentares) chegarão com um texto da lei à minha mesa rapidamente."

Mais cedo, de manhã durante um protesto na praça George Floyd, em Minneapolis, houve o disparo de cerca de 30 tiros, segundo a repórter da BBC Barbara Plett, que estava no local. Segundo a polícia local, uma pessoa ficou ferida, mas não corre risco de vida. Ainda não se sabe o motivo do incidente.

"Uma pessoa atirou de fora do perímetro da praça e teria fugido de carro quando uma patrulha a perseguiu. Não se sabe por que isso aconteceu. A especulação que estamos ouvindo aqui é que foi algum tipo de disputa pessoal, talvez relacionada a gangues. Não é incomum ouvir tiros nesta área", relatou Plett.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos