Um ano após surgimento da Covid-19, OMS pede distribuição justa de vacina para todos

Stephanie Nebehay
·1 minuto de leitura
.

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA (Reuters) - Ao lembrar que um ano se passou desde que os primeiros casos do novo coronavírus foram relatados na China, o chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) exortou os países nesta quarta-feira a fazerem com que as vacinas sejam disponibilizadas a pessoas em risco em todas as partes, e não somente em nações ricas.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, apelou por 4 bilhões de dólares para comprar vacinas contra Covid-19 para distribuição a países de renda média e mais baixa através do esquema de vacinas Covax.

"Este é o desafio ao qual precisamos estar à altura no Ano Novo", disse Tedros em uma mensagem de vídeo enviada um dia antes do primeiro aniversário dos relatos da China sobre os primeiros casos de uma pneumonia de origem desconhecida à agência de saúde da ONU.

"Vacinas oferecem uma grande esperança de se mudar o rumo de uma pandemia. Mas para proteger o mundo, precisamos fazer com que todas as pessoas em risco em todas as partes --não só em países que podem arcar com as vacinas-- sejam imunizadas", disse.

Ele também exortou países a combaterem teorias conspiratórias e ataques à ciência, dizendo que "a escolha é fácil" e que o mundo pode "percorrer os últimos quilômetros desta crise junto, ajudando um ao outro pelo caminho, desde o compartilhamento justo de vacinas até a conselhos precisos, compaixão e cuidado" a todos que os necessitam.