Um ano sem Beth Carvalho: cinco curiosidades sobre a eterna madrinha do samba

Beth Carvalho, a eterna madrinha do samba, morreu em 2019 aos 72 anos

“O show tem que continuar”, cantava Beth Carvalho. Intérprete de canções marcantes, a sambista eternizou sua voz em sucessos como "Vou festejar" e  "Andança". A madrinha do samba, como ficou conhecida, morreu aos 72 anos há exatamente um ano. Para homenageá-la, separamos cinco curiosidades sobre a cantora. Veja a seguir:

Interplanetária: música cantada por Beth já tocou em Marte

Quem poderia imaginar que ‘Coisinha do pai’ seria tocada em Marte, há 23 anos atrás? Pode parecer estranho, mas a música foi tocada para ‘acordar’ o robô Sojourner, criado pela Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa) para explorar a superfície do planeta. Na época, músicas eram enviadas a cada dia por cientistas da Califórnia, nos Estados Unidos, a Marte, para que o robô começasse o trabalho. A engenheira Lyra escolheu um trecho da versão ao vivo do samba, que representava o carinho dos cientistas pelo robô: “Você vale ouro/todo o meu tesouro (…) Agradeço a Deus porque lhe fez/Ô coisinha tão bonitinha do pai”.

A origem do apelido ‘Madrinha do samba’

Beth Carvalho ficou conhecida por muitos como a ‘madrinha do samba’. O apelido foi conquistado pela habilidade da cantora em encontrar novos talentos. Beth revelou ao Brasil vozes únicas, e não foram poucos os afilhados da cantora! Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Jorge Aragão, Bezerra da Silva, o grupo Fundo de Quintal, Almir Guineto e Luiz Carlos da Vila foram alguns dos apadrinhados pela sambista.

Paixão pelo Botafogo virou música

Beth Carvalho nunca escondeu sua paixão pelo futebol. A cantora era tão fanática pelo Botafogo que chegou a fazer uma música para homenagear o clube, em 1989. Naquele ano, o time renovou o fôlego depois de 21 anos sem ganhar nenhum campeonato. O gol do jogador Maurício acabou com o jejum do clube, e então Beth Carvalho compôs “Esse é o Botafogo que Eu Gosto”. “Tanto tempo esperando esse momento, meu Deus/Deixa eu festejar que eu mereço”, diz a música, conhecida como “Botafogo Campeão”.

Começo na bossa nova

Diferente do ritmo pelo qual ficou conhecida até sua morte, Beth Carvalho cantava bossa nova no começo de sua carreira, nos anos 60. A cantora chegou a gravar ao lado de outros artitas do segmento uma série de compactos. Estes são, inclusive, raros de encontrar fisicamente, mas é possível achar alguns no meio digital.

Aulas de violão durante a ditadura militar

Conhecida pelo sua consciência social e política na músicas, Beth herdou do pai militante, João Francisco Leal, a aproximação com partidos de esquerda. Ainda na adolescência, estudou violão numa escola de música e acabou como professora na área. Em 1964, seu pai foi cassado pela ditadura militar. Para segurar a barra pesada que sua família enfrentou, Beth passou a dar aulas de violão para 40 alunos.