Um dia depois de ser inaugurado, hospital de campanha do Pacaembu tem 35% de ocupação

Ana Letícia Leão
Estádio do Pacaembu é transformado em hospital de campanha para receber pacientes com coronavírus

SÃO PAULO - Um dia depois de ser inaugurado, o hospital de campanha para vítimas do coronavírus no estádio do Pacaembu, na Zona Oeste de São Paulo, já tem 35% de ocupação. A informação é do prefeito Bruno Covas, divulgada nesta terça-feira durante o lançamento do programa Cidade Voluntária.Segundo Covas, uma lista atualizada hoje inclui 70 pacientes em processo de transferência ao local. Leia mais: Saiba quais são os cuidados necessários para fortalecer a imunidadeO hospital de campanha tem capacidade para receber, ao todo, 200 pacientes de baixa e média complexidade, infectados por coronavírus. A estrutura - construída emergencialmente em 10 dias para desafogar alguns hospitais públicos da capital - ficou pronta na semana passada e foi entregue ao Hospital Israelita Albert Einstein, responsável por administrar o local.Siga no Twitter: Força-Tarefa do GLOBO divulga as principais notícias, orientações e dicas de prevençãoO primeiro paciente chegou ao hospital na manhã de ontem. Os demais estão sendo transferidos gradativamente, segundo último boletim da Secretaria Municipal de Saúde. O hospital de campanha não tem atendimento de pronto-socorro na porta. A ideia é que pacientes que não estejam graves sejam transferidos ao Pacaembu para liberar leitos para os mais críticos em locais como Hospital das Clínicas e Instituto de Infectologia Emílio Ribas. As vagas são administradas pela Secretaria de Saúde.