Um dos 'Beatles' do Estado Islâmico se declara culpado nos EUA

·1 minuto de leitura
(ARQUIVO) Imagens criadas em 11 de fevereiro de 2018 a partir de duas fotos fornecidas pelas Forças Democráticas da Síria em 10 de fevereiro de 2018 mostra os combatentes do grupo Estado Islâmico El Shafee el-Sheikh (E) e Alexanda Kotey (D), em um local não revelado (AFP/Handout)

Alexanda Kotey, membro da célula de sequestradores do Estado Islâmico conhecida como "Beatles", se declarou culpado em um tribunal dos Estados Unidos nesta quinta-feira (2) de conspiração para assassinar quatro reféns americanos.

Kotey, de 37 anos, é um ex-cidadão britânico e um dos dois membros da célula levados a julgamento nos EUA.

Até agora, ele se declarava inocente ao tribunal de Alexandria, Virgínia, perto de Washington, onde estava sendo julgado, junto com El Shafee el-Sheikh, de 33 anos, outro dos quatro membros do grupo. No entanto, Kotey decidiu mudar sua declaração.

Ambos são acusados dos assassinatos dos jornalistas americanos James Foley e Steven Sotloff em 2014, e dos trabalhadores humanitários Peter Kassig e Kayla Mueller.

Alexanda Kotey respondeu "sim" ao juiz TS Ellis, que lhe perguntou se ele se declarava "culpado de forma livre e voluntária".

Ao reconhecer sua culpa, ele renunciou a seu direito a um julgamento e enfrenta várias penas de prisão perpétua sem direito a liberdade antecipada. Ele também chegou a um acordo com o governo para dar todas as informações em seu poder sobre suas ações na Síria.

As famílias das vítimas estavam presentes na sala.

Alexanda Kotey e El Shafee el-Sheikh foram extraditados do Iraque para os Estados Unidos em outubro de 2020.

bur-cyj/cjc/mr/dl/jc/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos