Um dos petistas mais próximos a Lula, Jaques Wagner é escolhido líder do governo no Senado

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva anunciou nesta quinta-feira o senador Jaques Wagner (PT-BA) como líder do goveno na Casa. Aos 71 anos, ele é um dois políticos mais próximos de Lula e foi governador da Bahia por dois mandatos, de 2007 a 2014.

Veja quem são: Lula define escalação final de seus 37 ministérios

Leia: Ministério de Lula tem número inédito de mulheres, mas fica longe de paridade

Em 2018, se elegeu ao Senado. Naquele ano, com Lula impedido de disputar a eleição, Wagner foi cotado para concorrer à Presidência da República. O nome escolhido, porém, foi de Fernando Haddad, hoje escolhido Ministro da Fazenda. Já nas eleições deste ano, Jaques Wagner foi um os coordenadores político da campanha vitoriosa de Lula.

Fundador do PT, foi eleito deputado federal pela Bahia três vezes. Com a vitória de Lula em 2002, iniciou o governo como ministro do Trabalho e, em 2005, assumiu o Ministério das Relações Institucionais, responsável pela articulação política.

Com a exposição no governo Lula, Jaques Wagner se elegeu governador em 2006 e foi reeleito em 2010 no primeiro turno. Ao deixar o governo, conseguiu fazer o seu sucessor com a vitória de Rui Costa, escolhido agora como ministro da Casa Civil no novo governo Lula.

No início do segundo governo Dilma Rousseff, em 2015, o ex-governador assume o Ministério da Defesa. Em outubro do mesmo ano, porém, passa a comandar a Casa Civil.

Em março 2016, ele deixou o cargo para que Lula fosse nomeado ao cargo por Dilma Rousseff, em meio às investigações da Operação Lava Jato. A nomeação acabou sendo suspensa pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal. Jacques Wagner, porém, não retornou à função e ficou como ministro-chefe do Gabinete Pessoal da Presidência até o impeachment de Dilma, em maio de 2016.