Um em cada quatro novos donos de cães no Reino Unido pensa em abandonar os animais

·1 minuto de leitura
(Fevereiro) Pessoas caminham com seus cães em parque de Londres

Um em cada quatro novos donos de cães no Reino Unido pensa em abandonar os animais, aponta uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira, após a explosão de adoções de pets no país durante a pandemia, cujas restrições começam a ser levantadas.

O Reino Unido tem hoje 12 milhões de lares com cães, contra 9 milhões antes do novo coronavírus, segundo a associação de fabricantes de alimentos para cães PFMA. Muitas pessoas decidiram adquirir um animal por passarem mais tempo em casa devido aos sucessivos confinamentos. As responsabilidades que vêm junto com a criação de um pet, no entanto, parecem ter diminuído o entusiasmo inicial dos novos donos.

Um em cada quatro deles pensa em se desfazer de seus cães, devido à dificuldade de controlá-los, aponta a pesquisa, realizada entre os últimos dias 6 e 9 pelo gabinete Atomik Research, que ouviu 2002 proprietários de cães adultos no Reino Unido.

À medida que o país levanta as restrições, alguns donos se mostram preocupados com a reação de seus pets quando encontrarem outras pessoas ou animais. Mais de um terço dos entrevistados temem que seus cães ataquem um desconhecido.

Os abrigos de animais se preparam para receber um grande número de mascotes abandonados. "O número de cães que estão nos devolvendo está em um nível sem precedentes, e quando as restrições finais forem levantadas, em junho, esperamos ver as comportas se abrirem e os donos de cães chegarem em massa para trazer os animais de volta", comentou Gil White, do abrigo The Border Collie Spot, citado no texto.

pau-acc/mb/lb