Um Flamengo e duas gerações rubro-negras no Mundial de Clubes

Arrascaeta comemora o primeiro gol, na vitória contra Al Hilal

A final do Mundial de Clubes, entre Flamengo e Liverpool, sábado, no Catar, vai proporcionar um encontro de gerações. De um lado, os rubro-negros que já viveram emoção parecida, como o editor-assistente de Rio Luciano Guarrido, que tinha 17 anos quando o Flamengo conquistou o mundo pela primeira vez, justamente contra o Liverpool, na histórica goleada do time liderado por Zico por três a zero. Do outro, uma geração inteira que sonha com esse título, como o editor-assistente de País Miguel Caballero, que nasceu em 1982, um ano depois da consagração do Flamengo no Estádio Olímpico de Tóquio. No Ao ponto desta sexta-feira, vamos falar da paixão do torcedor, das expectativas de quem já viu e de quem verá pela primeira vez um jogo emblemático como esse. A gente ainda conta com a participação especial da colunista Miriam Leitão e bate um papo com o repórter Diogo Dantas, que conversou com o Zico, e com o colunista Carlos Eduardo Mansur, que conta como está o clima no Catar para o jogo de sábado.

Episódio também pode ser ouvido na página de Podcast do GLOBO. Você pode seguir a gente em Spotify, iTunes, Deezer.

Publicado de segunda a sexta-feira, às 6h, nas principais plataformas de podcast e no site do GLOBO, o Ao Ponto é apresentado pelos jornalistas Carolina Morand e Roberto Maltchik, sempre abordando acontecimentos relevantes do dia.