'Um inverno de descontentamento mundial se apresenta no horizonte', alerta chefe da ONU

O secretário-geral da ONU, António Guterres, advertiu os líderes mundiais reunidos em Nova York, nesta terça-feira (20), para o risco de "um inverno de descontentamento mundial", devido à "tempestade perfeita" de múltiplas crises que afetam o planeta.

"A crise do poder aquisitivo se deflagra, a confiança desmorona, as desigualdades disparam, nosso planeta queima, o povo sofre, sobretudo, os mais vulneráveis" e, apesar disso, "estamos bloqueados por uma disfunção global colossal", lamentou Guterres na abertura da Assembleia Geral da ONU, em Nova York.

Pelo menos 94 países - no total de 1,6 bilhão de pessoas, a maioria na África - enfrentam "uma tempestade perfeita: sequelas econômicas e sociais da pandemia, aumento dos preços de alimentos e da energia, enormes dívidas, espiral da inflação e falta de acesso aos mercados financeiros".

"Essas crises ameaçam o próprio futuro da humanidade e o destino do planeta", advertiu.

"Não tenhamos ilusões. Estamos em um mar agitado. Um inverno de descontentamento se anuncia no horizonte", insistiu Guterres.

Apesar dos perigos, a comunidade internacional está "paralisada", lamentou o secretário-geral da ONU, que alertou para o "risco de divisão entre o Ocidente e o Sul".

"As divisões políticas minam o trabalho do Conselho de Segurança, o direito internacional, a confiança e a fé das pessoas nas instituições democráticas", alegou.

"Não podemos continuar assim", acrescentou, ressaltando que é necessária "uma ação coordenada ancorada no respeito do direito internacional e na proteção dos direitos humanos".

abd-af/yow/jc/tt