Um jovem negro sendo chicoteado: o que cena diz sobre o Brasil?

Jovem negro de 17 anos foi torturado. Foto: Reprodução

Um jovem negro de 17 anos amordaçado, nu e sendo chicoteado. Essa foi a cena com o qual os brasileiros se depararam na última semana. Depois de tentar furtar um chocolate em um supermercado, o garoto foi surpreendido por dois seguranças que promoveram uma verdadeira sessão de tortura.

Após a cena ser noticiada, o movimento negro classificou a cena bárbara como um reflexo do racismo que existe no Brasil. Porém, outras pessoas fizeram questão de negar a ideia e afirmaram que uma pessoa branca também teria passado por essa situação se estivesse nas mesmas condições que o garoto.

Para ilustrar a situação e explicar por qual motivo a tortura do jovem negro explicita o racismo no Brasil, o professor Douglas Belchior, militante do movimento negro e membro da coordenação Fundo Brasil de Direitos Humanos, fez um convite ao leitor deste texto.

Leia também:

“Você que tá lendo esse texto… se eu pedir para você fechar os olhos e imaginar uma pessoa sendo chicoteada, eu tenho certeza que você não vai imaginar uma pessoa branca”, ilustrou durante entrevista ao blog.

“Uma pessoa branca poderia estar no lugar dele sendo torturada? Poderia. Realmente, poderia, mas por quê não estava? Por que era um negro ali? Assim como aquela família que foi alvejada com 80 tiros pelo Exército no Rio de Janeiro. Ela poderia ser uma família branca, mas por quê não era? Assim como a maioria das pessoas que morreram na rebelião de um presídio em Altamira era negra. Poderiam ser pessoas brancas, mas por quê não eram?”, questiona Belchior.

De acordo com o professor, toda vez que imaginamos uma pessoa em situação de miséria, ela é negra. Por outro lado, pensamos em pessoas brancas em situações de destaque e poder. Porém, por qual motivo isso acontece? A resposta é uma só: o racismo enraizado em nossa sociedade.

“O que explica o fato de serem sempre corpos negros alvos da violência mais cruel, da negação de direitos mais robusta, já que nós somos uma sociedade miscigenada e múltipla? Porque o Brasil é racista. Porque nós somos um país estruturalmente racista e o racismo nos explica. A sociedade naturalizou esses anos todos a violência contra corpos negros, o que emite uma permissão subjetiva para a violência destinada a esses corpos”, explicou.

Para o professor, também é preciso entender que aquele adolescente só estava naquela situação por ele e sua família terem seus direitos negados durante gerações.

“É preciso dizer que aquele garoto não estava ali por acaso. Ele é um garoto de menos de 18 anos que mora na rua. A sociedade também o abandona sem escola, sem oportunidade, sem afeto... isso o levou para aquela sala. As famílias negras são muito mais alvo da desestrutura combinada que leva as pessoas à miséria. Por isso tudo, [o que aconteceu com o menino] é racismo é explícito”, finalizou.