Uma em cada cinco estudantes brasileiras entre 13 e 17 anos já sofreu algum tipo de abuso sexual

·2 minuto de leitura
Vintage filtered on silhouette of depressed girl sitting on the window
Pesquisa do IBGE aponta que 20% das jovens estudantes entre 13 e 17 anos já sofreram algum tipo de abuso (Foto: Getty Images)
  • Um a cada sete adolescentes em idade escolar já sofreu algum tipo de abuso; índice é maior entre as meninas

  • Levantamento mostra que 6,3% dos entrevistados já foram forçados a manter relações sexuais contra vontade

  • Pesquisa foi feita pelo IBGE com cerca de 188 mil estudantes

A cada cinco meninas brasileiras em idade escolar (13 a 17 anos), uma já sofreu algum tipo de abuso sexual ao longo da vida. Na média, somando homens e mulheres, a média de vítimas é de um a cada sete. É o que mostra a Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE) 2019, realidade pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (10).

O IBGE entrevistou aproximadamente 188 mil estudantes, em 4.361 escolas de 1.288 municípios brasileiros. Em 2019, o país tinha 11,8 milhões de estudantes entre 13 e 17 anos.

Leia também

A pesquisa mostra que 14,6% dos entrevistados disseram que já foram tocados, manipulados, beijados ou passaram por situações de exposição de partes do corpo alguma vez contra a vontade – entre as mulheres, o índice é de 20,1% e entre os homens, 9%.

Entre os jovens que já sofreram algum desses abusos, alguns foram forçados a manter relação sexual contra a vontade: 6,3%. O índice entre as meninas chega a 8,8%, enquanto entre os meninos é de 3,6%.

Em relação ao consumo de bebida alcoólica, dois terços dos jovens, 63,3%, já ingeriram algum tipo e um terço deles o fizeram antes dos 14 anos, enquanto 47% já passaram por episódios de embriaguez.

Problemas de bullying

A pesquisa mostra ainda que 23% dos estudantes entre 13 e 17 anos já sofreram bullying ou se sentiram humilhados pelos colegas nos últimos 30 dias. Em relação às redes sociais, 13,2% entrevistados disseram que já se sentiram ameaçados, ofendidos ou humilhados nas redes sociais e aplicativos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos