Onda de calor em Portugal mata mulher e deixa centenas de feridos por queimadas

Uma onda de calor que atinge parte da Europa deixou uma mulher morta e mais de cem pessoas feridas somente em Portugal, que tem 16 dos seus 18 estados sob alerta vermelho. A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) informou que, na manhã desta quarta-feira, sete dos incêndios no país indicavam “preocupação”, principalmente por se tratar de um dia em que há “uma tendência crescente de ignições” (geração de faísca).

Além de Portugal: Espanha e França tem nova onda de calor intenso

Calor recorde: governo do Japão pede que 37 milhões de pessoas economizem energia nesta segunda

Na terça-feira, uma mulher morreu carbonizada em decorrência de um incêndio em uma área rural em Murtosa, no distrito de Aveiro. Por conta do avanço das chamas, o país recebeu dois aviões de combate às chamas vindos da Itália. Outras duas aeronaves devem ser enviadas pela França nos próximos dias.

Segundo o Diário de Notícias, o comandante nacional de Emergência e Proteção Civil, André Fernandes, informou que os quatro aviões serão disponibilizados por meio do Mecanismo Europeu de Proteção Civil, que foi acionado por Portugal no domingo.

O município de Ourém cancelou uma série de festividades que aconteceriam até a próxima segunda-feira e ativou o Plano de Contingência Municipal por conta das queimadas.

“Infelizmente, o nosso conselho tem sido um dos mais afetados. [...] Esta situação obriga-nos a tomar mais medidas para que possamos salvaguardar o nosso conselho. Assim, determino o cancelamento de todas as festas e atividades culturais, desportivas e recreativas agendadas”, diz a decisão.

Centenas de agentes foram deslocados para combater as chamas em diversos pontos do país. Em Mangualde, 200 bombeiros, cinco aeronaves e 40 viaturas tentam conter um incêndio em um povoamento florestal.

Nebulosa do Anel Sul, Quinteto de Stephan: saiba o que mostram as imagens do telescópio James Webb

Outros 121 agentes atuam na cidade do Aveiro, segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS). Outros 200 agentes atuam em Palmela, no distrito de Setúbal, onde mais de 50 pessoas foram retiradas de várias aldeias e levou à evacuação de um lar de idosos.

Em Alvega, no conselho de Abrantes, foi registado ontem a maior temperatura máxima: 44.6°C, segundo o Diário de Notícias. De acordo com o Instituto do Mar e da Atmosfera, 28 estações meteorológicas tiveram marcas que ultrapassavam os maiores valores da temperatura máxima neste mês de julho. Em seis destas estações (Monção/Valinha, Coimbra/Aeródromo, Moimenta da beira, Figueira da Foz/Vila Verde, Bragança e Lamas de Mouro), os recordes são históricos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos