Uma semana após início da fase emergencial, isolamento em São Paulo não cresce

VICTÓRIA DAMASCENO
·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 21.10.2020 - JOÃO-DORIA-SP: O governador de São Paulo, João Doria (PSDB). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 21.10.2020 - JOÃO-DORIA-SP: O governador de São Paulo, João Doria (PSDB). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após a primeira semana da fase emergencial, que impõe restrições até mesmo para serviços essenciais, o índice de isolamento médio em São Paulo não registrou aumento significativo.

Neste domingo (21) o índice registrado foi de 51%. No domingo passado, quando o estado estava na fase vermelha do Plano São Paulo, ele foi de 50%, segundo dados do governo paulista. Na semana anterior o valor também era de 51%.

A taxa de isolamento social é calculada através do Simi (Sistema de Monitoramento Inteligente), que reúne dados das operadoras Claro, Oi, Tim e Vivo. O sistema do governo registra o deslocamento do telefone celular durante o dia em relação ao local onde esteve pela noite. Se ultrapassar cerca de 200 metros ele entende que o usuário não aderiu ao isolamento.

Com a população nas ruas, a taxa de ocupação das UTIs (unidade de terapia intensiva) por pacientes com Covid-19 não para de crescer. No estado, 91,9% dos leitos estão ocupados e na região metropolitana 91,6%. A lotação era de 88,4% no estado e de 90% na Grande São Paulo no domingo anterior.

As políticas implementadas durante a fase emergencial também não trouxeram mudanças no trânsito de São Paulo e não tiraram muitas pessoas dos ônibus da SPTrans .

Neste domingo a média de trânsito em São Paulo foi de 2 km, de acordo com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). No domingo passado e no anterior, quando São Paulo ainda estava na fase vermelha, também foram registrados 2 km.

O volume de carros neste domingo foi de 1,1 milhões, o mesmo valor do domingo passado e na semana anterior.

Entre as pessoas transportadas, foram aproximadamente 1,5 milhão na última sexta-feira. Na sexta-feira passada foram 1,69 milhão de pessoas, valor menor em relação à semana anterior, quando a CET registrou 1,99 milhão. Nos três dias foram usados 11.308 ônibus.