UnB fecha parceria com governo do DF e fará até 700 testes de coronavírus por dia

MÔNICA BERGAMO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Universidade de Brasília (UnB) fechou um acordo com o governo do Distrito Federal (DF) nesta sexta-feira (20) para a realização de testes do novo coronavírus. A instituição estima ter capacidade de processar até 700 exames por dia —o dobro da capacidade do DF atualmente, considerando as redes hospitalares pública e privada.

Até a última atualização da Secretaria de Saúde, na quinta-feira (19), o DF tem 42 casos confirmados e 235 em investigação.

A mediação da parceria foi feita pelo deputado distrital Leandro Grass (Rede-DF), que participou de reunião entre o Secretário de Saúde, Francisco Araújo, e o decano de pesquisas da UnB e diretor do Instituto de Ciências Biológicas, Jaime Santana, nesta sexta.

"É uma das medidas que a OMS [Organização Mundial da Saúde] tem sugerido como prevenção. Quanto maior o número de testes, mais pessoas em quarentena nós teremos", destaca o deputado.

Com a explosão da demanda, hospitais já limitam os testes para a Covid-19 a pacientes com sintomas graves, como é o caso do Hospital Israelita Albert Einstein e do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Além de dar utilidade para os laboratórios da instituição, hoje ociosos com a suspensão das aulas por causa da pandemia, a iniciativa da UnB objetiva vincular o atendimento laboratorial com pesquisa. Com isso, será possível mapear o contágio pelo vírus a partir de variáveis como idade, sexo e área geográfica.

O governo do DF articula, neste momento, o acordo jurídico para o fornecimento de kits para os exames, que deverá estar pronto até o início da próxima semana.