Unesco denuncia destruição de mais de 150 espaços e monumentos culturais desde início da guerra na Ucrânia

No total, 152 espaços culturais, entre centros, museus, monumentos e bibliotecas foram destruídos na Ucrânia, desde o início da invasão russa, em 24 de fevereiro. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (23) pela Unesco.

"Segundo um balanço feito por especialistas, 152 espaços culturais foram destruídos parcial ou completamente devido aos combates, entre eles 70 edifícios religiosos, 30 prédios históricos, 18 centros culturais, 12 museus e 7 bibliotecas", afirma o comunicado da Unesco.

De acordo com o balanço, três principais regiões ucranianas concentram os prejuízos: Donetsk (45 locais ou monumentos atingidos), Kharkiv (40) e Kiev (26). "Esses ataques repetidos aos espaços culturais precisam parar", afirmou a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay. "o patrimônio cultural, sob todas as formas, não deveria em nenhum caso ser alvo", reiterou.

Destruições "dramáticas"

Em abril, o diretor do centro do patrimônio mundial da Unesco, Lazare Eloundou Assomo, já havia feito um primeiro balanço do prejuízo da invasão russa ao setor, ressaltando a destruição "de monumentos históricos, alguns datando do século 12 e 13". Também foram atingidos "igrejas, catedrais, com objetos litúrgicos únicos, teatros, como o de Mariupol, bibliotecas e outros prédios de arquivos, monumentos construídos em homenagem à glória da Ucrânia", afirmou, sinalizando essas destruições como "dramáticas".

(Com informações da AFP)


Leia mais

Leia também:
Unesco alerta para riscos da invasão russa ao rico patrimônio cultural da Ucrânia
Passagem de russos deixa marcas da guerra no sul da Ucrânia; combates se acirram no leste
“Nasci aqui e vou morrer aqui”: moradores do Donbass se recusam a deixar a região, apesar da guerra

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos