União Europeia aceita Ucrânia e Moldova como candidatas ao bloco​

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, anunciou no Twitter nesta quinta (23) que o Conselho Europeu de Líderes da União Europeia aceitou a candidatura da Ucrânia e da Moldova ao bloco de 27 nações.

É um ato que simboliza o enfrentamento da UE à Rússia devido à invasão da Ucrânia, mas na prática o processo poderá demorar anos, se não décadas —para ser um membro do grupo, é necessário cumprir requisitos econômicos, políticos e sociais que os ucranianos não tinham nem antes de ter cerca de 20% do seu território tomado por Moscou.

O caso de Moldova é outra sinalização ao Kremlin: o país tem uma região separatista apoiada por Moscou desde os anos 1990 e tropas russas guardando o status quo. Como a admissão de ambas as nações irá proceder é outra questão: países de maior peso, como a França, são contrários a mecanismos de aceleração da seleção por motivos políticos, temendo o efeito econômico e social no conjunto da UE.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos