União Europeia aprova vacina contra Covid-19 da Janssen

O Globo, com agências internacionais
·2 minuto de leitura

RIO — A Comissão Europeia concedeu uma autorização de comercialização condicional para a vacina contra a Covid-19 da Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson, depois que a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) recomendou a aprovação do imunizante para todos os adultos, nesta quinta-feira.

A vacina pode ajudar o bloco a aumentar seu esforço de imunização porque pode ser armazenada em uma geladeira por longos períodos — ao contrário das vacinas Pfizer e Moderna — e a logística de injeção de uma única dose é muito mais simples. O imunizante protegeu todos os voluntários em testes clínicos contra hospitalização e morte por Covid-19.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou que se reunirá com representantes da Johnson & Johnson no dia 16 de março para discutir o uso emergencial da vacina da Janssen. O Ministério da Saúde também anunciou que pretende firmar contrato para aquisição de doses do imunizante, mas o negócio ainda não foi fechado.

Estados Unidos, Canadá e Bahrein também já autorizaram a vacina. A África do Sul está conduzindo uma revisão urgente.

A UE adquiriu 200 milhões de doses, com opção para mais 200 milhões. A comissão havia dito que as entregas deveriam começar no início de abril, mas as autoridades agora estão se preparando para atrasos, disseram duas pessoas com conhecimento do processo, no início desta semana.

É a quarta vacina licenciada na UE, depois da BiotNTech/Pfizer, Oxford/AstraZeneca e Moderna.

Em uma reunião de embaixadores da UE na quarta-feira, diplomatas foram informados de que a Johnson & Johnson ainda não forneceu um cronograma de entrega.

Sobre a vacina

A vacina da Janssen foi considerada 67% eficaz contra a Covid-19 sintomática segundo os ensaios clínicos, um número que foi afetado pela prevalência de novas variantes do coronavírus em alguns locais de estudo, como a África do Sul. No braço americano dos estudos, a vacina evitou 72% das infecções.

Como a vacina de Oxford/AstraZeneca, o imunizante da Janssen usa um adenovírus, semelhante ao vírus que causa o resfriado comum, para entregar o material genético ao corpo e provocar uma defesa contra a Covid-19. A vacina de Oxford/AstraZeneca usa um adenovírus de chimpanzé para fazer isso, enquanto o da Janssen é derivado de humanos.