União Europeia parabeniza Lula na eleição: 'respeito pela Democracia, pelos Direitos Humanos e pelo Estado de Direito'

A União Europeia parabenizou Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em sua vitória na eleição presidencial neste domingo.

"Cidadãos brasileiros foram às urnas para eleger seu novo presidente em uma eleição pacífica e bem organizada", afirmou Josep Borrell Fontelles, Alto representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança e vice-presidente da Comissão Europeia, numa postagem em inglês, acrescentando a palavra "parabéns" em português à eleição de Lula. "Estou ansioso para trabalhar junto e avançar as relações UE-Brasil com seu governo e com as novas autoridades do Congresso e do Estado".

No site oficial da insituição, a União Europeia divulgou o comunicado completo felicitando os recém-eleitos presidente e vice-presidente.

"Após o anúncio oficial do Tribunal Superior Eleitoral, a UE parabeniza Luiz Inácio Lula da Silva como presidente eleito e Geraldo José Rodrigues Alckmin Filho como vice-presidente eleito pela vitória", afirma.

A UE elogiou o Tribunal Eleitoral brasileiro pela forma "eficaz e transparente com que conduziu o seu mandato constitucional em todas as fases do processo eleitoral, demonstrando mais uma vez a força das instituições brasileiras e da sua democracia".

"A UE e o Brasil têm uma Parceria Estratégica de longa data, baseada em valores partilhados e no respeito pela Democracia, pelos Direitos Humanos e pelo Estado de Direito", diz a nota.

"Temos o compromisso de aprofundar e ampliar nosso relacionamento com o Brasil em todas as áreas de interesse mútuo, incluindo comércio, meio ambiente, mudanças climáticas e agenda digital em benefício de nossos cidadãos. Também fortaleceremos nosso trabalho conjunto em prol do desenvolvimento inclusivo, justo e sustentável. Estou ansioso para trabalhar em conjunto com o presidente Lula e seu governo, bem como com o novo Congresso e autoridades do Estado".

O presidente francês Emmanuel Macron parabenizou a vitória de Lula no pleito: "Parabéns, meu caro Lula, por sua eleição que dá início a um novo capítulo da história do Brasil. Juntos, vamos unir nossas forças para enfrentar os muitos desafios comuns e renovar o vínculo de amizade entre nossos dois países". Ambos combinaram de conversar por telefone nesta segunda-feira.

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, disse que Lula vai “corresponderá a um período promissor nas relações fraternais entre os povos brasileiro e português e por isso também entre os dois Estados!". António Costa, primeiro-ministro de Portugal, escreveu no Twitter que já de já deu os parabéns a Lula e que vê sua vitória de forma otimista.

O prêmier da Espanha, Pedro Sanchez, afirmou que os brasileiros optaram pelo "progresso e esperança".

Lula, já presidente eleito, disse que o Brasil precisa de "paz e união" e que o país "está de volta" ao cenário internacional, após vencer o segundo turno das presidenciais.

— A ninguém interessa viver num país dividido, em permanente estado de guerra. Este país precisa de paz e união — afirmou o petista.

Vinte anos depois de sua primeira eleição, e doze de encerrar seu segundo mandato, Lula foi eleito neste domingo presidente do Brasil. Com 50,83% dos votos válidos apurados até às19h57, o ex-torneiro mecânico, de 77 anos, que há duas décadas se tornou o primeiro operário a governar o país, voltará ao Palácio do Planalto em um novo capítulo de uma trajetória singular na política brasileira. A disputa foi tão apertada que o anúncio da sua eleição só foi dado com 98,77% das urnas apuradas.

Depois de deixar a Presidência com 87% de aprovação (2010), o petista viu sua sucessora, Dilma Rousseff (PT), sofrer um processo de impeachment (2016); ficou preso por 580 dias por corrupção passiva e lavagem de dinheiro (2018-2019); teve as condenações anuladas por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF); e, 1.087 dias depois de deixar a carceragem da Polícia Federal em Curitiba, torna-se o primeiro brasileiro da História a ser eleito três vezes para o principal cargo do Executivo.