União Europeia vai criar reserva estratégica de equipamentos de saúde para combater novo coronavírus

O Globo e agências internacionais

BRUXELAS — A Comissão Europeia anunciou nesta quinta-feira a criação de uma reserva estratégica de equipamentos médicos, principalmente respiradores e aparatos de proteção, como máscaras e luvas. O comissário europeu para o gerenciamento de crises, Janes Lenarcic, disse que a pandemia parece ter “pegou de surpresa” os países e que a escassez de equipamentos está se tornando "angustiante".

Essa reserva complementará o mecanismo europeu de proteção civil, que prevê a solidariedade entre os estados-membros da UE para lidar com desastres naturais, mas que tem tido dificuldade de ser aplicada na luta contra o novo coronavírus, já que todos os países da União Europeia enfrentam os mesmos problemas.

Segundo o anúncio desta quinta, a medida será feita paralelamente aos editais de licitação conjuntos que estão em andamento, nos quais quase todos os países europeus participam, para a encomenda de equipamentos de proteção, máscaras e respiradores.

— Essa reserva apoiará os estados-membros que estão sofrendo com a escassez — afirmou Lenarcic.

A reserva será constituída por equipamentos médicos de terapia intensiva, como respiradores, de proteção individual, como máscaras reutilizáveis, vacinas — quando disponíveis — e de pequenos instrumentos de laboratório.

A ideia é que um país seja voluntário para constituir a reserva, cujos produtos serão distribuídos entre os restantes, conforme for necessário. A reserva será financiada 90% pela Comissão Europeia e guardada por um ou mais estados-membros.

"O Centro de Coordenação de Resposta de Emergência gerenciará a distribuição de equipamentos para garantir que ele chegue onde é mais necessário. O orçamento inicial alocado pela UE à reserva é de 50 milhões de euros, dos quais 40 milhões estão sujeitos à aprovação das autoridades orçamentárias”, afirmou o Executivo europeu em comunicado à imprensa.

Estão em andamento outros três editais de licitação conjuntos, supervisionados pela Comissão: um lançado em fevereiro para proteção ocular e equipamento respiratório, o outro para respiradores e um terceiro que será lançado para equipamentos de laboratório.