União honrou R$ 8,96 bi em dívidas não pagas por estados e municípios em 2021

·1 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.02.2019 - Still de mão segurando cédulas de real, moeda oficial brasileira. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 21.02.2019 - Still de mão segurando cédulas de real, moeda oficial brasileira. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Tesouro Nacional informou nesta sexta-feira (7) que a União honrou R$ 8,96 bilhões em dívidas não pagas por estados e municípios em 2021.

O valor honrado é o segundo maior da série iniciada em 2016, inferior apenas ao montante de R$ 13,33 bilhões quitados pela União em 2020.

No ano passado, a maior parte da conta foi paga sobre dívidas dos estados do Rio de Janeiro (R$ 4,2 bilhões), Minas Gerais (R$ 3,1 bilhões) e Goiás (R$ 1,3 bilhão). Os três estados somam 96,1% de tudo que foi honrado pelo governo no ano.

A União ainda pagou R$ 194 milhões em débitos do Amapá e R$ 156 milhões do Rio Grande do Norte. O único município do país com garantia honrada no ano foi Belford Roxo (RJ), com o valor de R$ 1,56 milhão.

No total, desde 2016, esse custo ao governo federal soma R$ 41,91 bilhões.

A União oferece garantia em empréstimos dos governos regionais com organismos internacionais e instituições financeiras, o que permite aos entes captar financiamentos com taxas de juros mais baixas.

Em caso de não pagamento, o Tesouro Nacional fica obrigado a honrar as dívidas. Depois, o governo federal aciona contragarantias para reaver os valores. No entanto, os entes têm conseguido barrar essas cobranças.

"Pelo fato de a União estar impedida de recuperar as contragarantias de diversos Estados que obtiveram liminares judiciais suspendendo a execução das referidas contragarantias, os valores honrados no ano aumentaram a necessidade de financiamento da dívida pública federal", informou o Tesouro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos