Unicamp decreta luto após morte de estudante em confusão durante festa sertaneja

Heloise Magalhães, estudante de odontologia da Unicamp, morreu após ser baleada em festa sertaneja — Foto: Reprodução
Heloise Magalhães, estudante de odontologia da Unicamp, morreu após ser baleada em festa sertaneja — Foto: Reprodução

Na tarde deste domingo (20) a Faculdade de Odontologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), decretou luto oficial de três dias pela morte da estudante Heloise Magalhães Capatto, de 23 anos, baleada durante confusão em uma festa sertaneja em São Paulo (SP), na madrugada deste domingo.

A jovem cursava o 5° ano da faculdade de Odontologia na Unicamp e, em nota, o diretor Flávio Henrique Baggio Aguiar disse que a morte de Heloise "chocou a todos".

A confusão ocorreu em meio à festa “Fervo”, cuja atração principal era o show da dupla Hugo & Guilherme. Segundo o boletim de ocorrência, o tumulto começou durante o espetáculo principal.

Além de Heloisa, Leonardo Victor Cardozo, de 26 anos, também foi atingido pelos disparos e morreu. Outras duas pessoas também ficaram feridas. Heloise e Leonardo foram sepultados ainda neste domingo. Ninguém foi preso.

Um jovem de 27 anos foi ferido nas regiões da orelha e da têmpora e segue internado em um hospital particular e a quarta pessoa foi atingida de raspão, mas não foi socorrida e buscou atendimento médico por meios próprios, sendo medicada e liberada em seguida. Ela foi medicada e liberada.

O sobrevivente informou que não conhecia as outras duas vítimas. Ele disse que escutou um barulho e percebeu que tinha sido atingido.

A irmã do jovem que morreu disse que o irmão estava no show com um amigo e tentou intervir em uma briga de casal, quando o autor sacou uma arma e fez os disparos. O autor dos disparos não foi identificado.

O caso foi registrado como homicídio e tentativa de homicídio. O Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) vai investigar o crime.

A Burn19 Produções, empresa responsável pela organização do evento, emitiu uma nota sobre o caso.

"A organização do evento presta toda a solidariedade às vítimas deste terrível episódio, se colocando à disposição das autoridades, e ainda está aguardando a apuração da Polícia Civil e Polícia Militar para poder se posicionar com mais informações do ocorrido."

Ainda de acordo com a empresa, a festa contava com documentos legais e alvará para acontecer, e que no local do evento também teve revista pessoal e seguranças particulares, além de atendimento ambulatorial.