Brad Pitt admite que parou de beber depois da separação

Los Angeles (EUA), 3 mai (EFE). - Em sua primeira entrevista desde o divórcio com Angelina Jolie, Brad Pitt reconheceu que após a separação decidiu deixar de beber, hábito que chegou a ser "um problema" para o casal e que fez com que ele fosse fazer terapia.

Em uma conversa com Michael Paterniti, da "GQ", ele contou que bebia exageradamente, mas que agora está feliz por já ter passado seis meses sem consumir álcool.

No texto, publicado nesta quarta-feira no site da revista, o ator revelou que era "um profissional" quando o assunto era beber, mas chegou um momento em que decidiu que não podia mais continuar vivendo daquela forma. Agora, ele tem substituído o álcool por suco de cranberry e água com gás.

"Para mim, este período foi realmente para me consertar nas minhas fraquezas e nos meus fracassos", explicou.

Durante a extensa entrevista, o astro, de 53 anos, só mencionou a ex-mulher em uma ocasião: quando sugeriu que Michael Paterniti visse o novo filme de Angelina como diretora, "First They Killed My Father".

O ator admitiu que estava "muito triste" morando em Hollywood, onde costumava encontrar Angelina e os seis filhos e, por isso, decidiu se mudar para a casa de um amigo em Santa Mónica, na Califórnia.

Em janeiro, Brad Pitt e Angelina Jolie divulgaram um comunicado conjunto afirmando que acertaram manter sigilo sobre o divórcio e para preservar a intimidade das crianças.

"(...) Me preocupo que eles sejam o foco de atenção de todo isto e me preocupo quando falam a respeito sem delicadeza ou conhecimento, porque isso é feito para vender. O sensacionalismo é o que vende. Eles estão submetidos a isso e me dói", afirmou. EFE