Universidad Católica irá banir torcedores por gestos racistas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Juan Tagle, presidente da Universidad Católica, afirmou que o clube irá identificar e punir responsáveis. Foto: (Reprodução/Redes Sociais)
Juan Tagle, presidente da Universidad Católica, afirmou que o clube irá identificar e punir responsáveis. Foto: (Reprodução/Redes Sociais)

Através de seu presidente, a Universidad Católica se manifestou, em seu perfil oficial no Twitter e no do próprio mandatário também, repudiando os atos de racismo e violência cometidos por dois torcedores do clube chileno na partida da última quinta-feira contra o Flamengo, onde o clube brasileiro venceu o mandante por 3 a 2 no Estádio San Juan de Apoquindo, em Santiago.

Assim que a partida foi encerrada, o presidente da Universidad Católica, Juan Tagle Quiroz, se manifestou repudiando os atos de um torcedor, que imitava um macaco para a torcida flamenguista, e dizendo que o homem deveria ser identificado e a ele aplicada uma punição de proibição de ingressar no estádio. O mandatário completou dizendo que: "Não há espaço na Universidade Católica para isto".

Leia também:

Na busca por identificar os autores, o perfil da Universidad Católica replicou uma publicação do perfil oficial do Flamengo no Twitter frisando que: "Necessitamos identificar os responsáveis por esses atos. Não podemos tolerar estas condutas miseráveis em nosso estádio. Necessitamos da sua ajuda de maneira anônima para identificar a estes sujeitos. Nos escreva, com confidencialidade, para lineadirecta@cruzados.cl e acabemos com isto!".

Conmebol planeja punições

Depois de uma sequência inaceitável de atos de racismo de torcedores de clubes adversários dos brasileiros na Copa Libertadores da América, a alta cúpula de comando da Conmebol decidiu por tomar atitudes contra as criminosas práticas nos estádios de futebol. Além de colocar em prática uma determinação da FIFA que trata de "três passos contra a discriminação", que pode, até, paralisar as partidas, a entidade máxima do futebol na América do Sul emitiu nota na tarde desta sexta-feira prometendo intensificar suas ações para coibir o racismo

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos