Urologista realiza cirurgia de vasectomia usando energia de carro elétrico

O urologista falou brincando que poderia remarcar a consulta ou usar picape como fonte de energia (Getty Image)
O urologista falou brincando que poderia remarcar a consulta ou usar picape como fonte de energia (Getty Image)
  • Para a vasectomia, médico usou uma picape elétrica da Rivian para manter os aparelhos funcionando;

  • O paciente riu e disse que preferia não remarcar e ele que estava bem usando a picape;

  • A cirurgia foi um sucesso; "Todos nós rimos", contou o médico.

Em uma clínica no Texas (EUA), um médico usou uma picape elétrica da Rivian para manter os aparelhos funcionando durante o procedimento. O caso aconteceu no dia 1° de setembro, e o médico norte-americano Christopher Yang contou através de tuites como realizou o procedimento. O dono de uma Rivian R1T, picape elétrica com 846 cv de potência e 125,5 kgfm de torque abusou da criatividade para não deixar o paciente na mão.

O urologista falou brincando que poderia remarcar a consulta ou usar picape como fonte de energia. De acordo com Christopher, o paciente riu e disse que preferia não remarcar e ele que estava bem usando a picape.

"Minha equipe e eu estávamos discutindo se deveríamos cancelar a vasectomia devido à falta de energia. Um deles mencionou, brincando, que deveríamos executá-la por meio do Rivian", explicou Yang. "Depois de pensar mais, parecia que iria funcionar. Discuti os riscos e benefícios com o paciente, e ele concordou em prosseguir."

Na teoria, veículos elétricos podem servir como gerador de energia e carregar equipamentos eletrônicos. Mesmo assim, eles precisam estar prontos para esse tipo de recarga, chamada de bidirecional.

Na ocasião, o médico passou um cabo de extensão da tomada da picape para um dessecador de alta frequência que evita a perda de sangue durante operações e um ventilador no quarto do paciente.

Pelo menos no final, tudo deu certo. "Todos nós rimos", contou o médico ao site "Motherboard". "Mas eu pensei mais um pouco, e sem dúvida era algo viável", completou.