Uruguai demite Óscar Tabárez do comando da seleção após 15 anos

·2 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 18.06.2014 - O técnico do Uruguai, Oscar Tabarez, durante o treino da seleção no estádio do Corinthians, em Itaquera (SP). (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 18.06.2014 - O técnico do Uruguai, Oscar Tabarez, durante o treino da seleção no estádio do Corinthians, em Itaquera (SP). (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O mais longo trabalho de um técnico de seleções no futebol sul-americano foi interrompido. Óscar Washington Tabárez, 74, foi demitido pela Associação Uruguaia de Futebol depois de 15 anos como treinador do Uruguai. A decisão foi anunciada nesta sexta-feira (19).

Ainda não está definido quem será seu substituto. Diego Aguirre, do Internacional, é apontado como um dos candidatos.

Tabárez foi dispensado após sequência de resultados ruins do Uruguai nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. A equipe perdeu os últimos quatro jogos e fez apenas um gol. Nas últimas cinco rodadas da competição, obteve apenas um ponto. A seleção está em 7º na tabela, mas a um ponto da 4ª posição, que dá vaga direta para o Mundial.

O último jogo do treinador à frente da Celeste foi na última terça-feira (16), uma derrota por 3 a 0 para a Bolívia, em La Paz.

Tabárez já balançava no cargo. Após a goleada por 4 a 1 sofrida diante do Brasil, em 4 de outubro, houve uma reunião dos dirigentes da associação de futebol para decidir se o trabalho deveria seguir ou não. Decidiu-se pela continuidade. Ele se recusou a declarar ter colocado o cargo à disposição ou se demitir.

Sob o seu comando, a seleção conseguiu seus melhores resultados nos últimos 50 anos.

Ele foi contratado em 2006, após o país ter falhado na busca de uma vaga para a Copa do Mundo da Alemanha. Imediatamente, apresentou um documento sobre como as seleções, desde a base até o profissional, deveriam treinar, jogar e o esquema tático que deveria ser implementado.

No Mundial de 2010, o Uruguai chegou à semifinal pela primeira vez depois de 1970 e o atacante Diego Forlán foi eleito o melhor jogador da competição. O resultado representou o renascimento uruguaio que, no ano seguinte, conquistaria a Copa América na Argentina.

Sob o comando de Tabárez, o país também foi às Copas de 2014 e 2018. No torneio realizado no Brasil, caiu nas oitavas de final. Na Rússia, chegou às quartas. Foi eliminado pela França, que depois seria campeã.

Antes disso, ele já havia dirigido a seleção no Mundial de Itália, em 1990. No total, o técnico apelidado de "Maestro" (Professor, em espanhol) dirigiu a equipe em 226 partidas. Venceu 109, empatou 57 e perdeu 60.

O Uruguai volta a jogar pelas Eliminatórias em 27 de janeiro, quando visita o Paraguai.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos