Uruguai reduz impostos e preços de suprimentos a comerciantes com abertura de fronteiras

·2 minuto de leitura
(Arquivo) Vista de rua na fronteira entre Livramento no Brasil e Rivera no Uruguai em 21 de setembro de 2018 (AFP/MIGUEL ROJO)

O governo uruguaio anunciou nesta terça-feira (28) um pacote de medidas compensatórias, incluindo a redução da carga tributária e do preço de alguns recursos públicos para comércios localizados na divisa com o Brasil e a Argentina, a fim de amortecer a forte diferença de preços com os dois países, diante da iminente abertura de fronteiras.

“Todos nós sabemos que a abertura das fronteiras vai gerar um possível fluxo comercial e há um diferencial de câmbio significativo com os países vizinhos”, disse o secretário da Presidência, Álvaro Delgado, em entrevista coletiva.

Após reunião com governadores dos departamentos que possuem passagens terrestres para o Brasil e a Argentina, Delgado anunciou medidas para baixar os custos das micro, pequenas e médias empresas cuja atividade principal é o varejo.

Ele esclareceu que essas empresas devem estar localizadas a no máximo 60 km de uma travessia da fronteira e não faturar mais de 20 milhões de pesos (cerca de 480 mil dólares) por ano. “Isso cobre mais de 83% das empresas dessas categorias na área de fronteira”, afirmou.

As medidas anunciadas incluem descontos nas tarifas públicas de luz, telefone, internet e água, assim como isenções de alguns impostos. Os benefícios serão estendidos por um ano a partir da promulgação do decreto, em data não definida.

A ideia é que os benefícios “sejam repassados nos preços, que o uruguaio tenha preços mais competitivos e mais baratos”, disse Delgado.

No Uruguai, é muito comum os moradores de locais fronteiriços cruzarem de carro até o Brasil ou a Argentina para fazer compras e até mesmo colocar gasolina, já que historicamente é mais barato, uma discrepância que se ampliou significativamente no último ano devido ao câmbio.

No entanto, Delgado lembrou que, de acordo com o protocolo sanitário vigente, toda vez que alguém que sai do país quer voltar, precisa estar vacinado e apresentar resultado negativo de um teste de PCR realizado há menos de 72 horas e outro sete dias mais tarde, às suas custas. Isso representa uma despesa extra de pelo menos 200 dólares.

Enquanto o Brasil já admite a entrada de uruguaios, a Argentina vai abrir suas fronteiras com os países vizinhos a partir desta sexta-feira. Já o Uruguai permitirá a entrada de turistas a partir de 1º de novembro.

gv/ic/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos