Vídeo de 2019 em que Batoré pede fechamento do STF viraliza após caso de Sérgio Reis; entenda

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O comediante Ivanildo Gomes Nogueira, conhecido por interpretar o personagem Batoré em humorístico na TV, viralizou nas redes sociais nesta segunda-feira com um vídeo em que pede o fechamento do Supremo Tribunal Federal e que militares ocupem as cadeiras dos magistrados. Apesar da associação com o caso do cantor sertanejo Sérgio Reis, que apareceu em um vídeo vazado convocando uma greve nacional de caminhoneiros contra os integrantes do Supremo, o vídeo do humorista é antigo e foi gravado no final de 2019.

Apoiador do presidente Jair Bolsonaro, Nogueira aparece no vídeo fazendo críticas ao Poder Legislativo e Judiciário. Ele afirmou que “o desejo de todos os brasileiros é que o presidente feche as portas dessas três casas”.

“Vocês deveriam ter consciência de que esse país não é de vocês. Se nós mudamos a presidência, é porque a gente viu que tinham muitos bandidos e que precisava de um militar. Mas, depois de tudo isso, nós temos a consciência de que militar não faltava só na cadeira do presidente, falta no STF, na Câmara dos Deputados e no Senado. O desejo de todos os brasileiros é que o presidente feche as portas dessas três casas, porque não tem trazido benefício nenhum para o nosso país”, disse Batoré

Ele também afirmou que a Suprema Corte “só fica soltando bandido” e que os presidentes do Senado Federal e da Câmara dos Deputados deveriam "estar na cadeia", por um suposto envolvimento com a Operação Lava-Jato. Ivanildo Gomes Nogueira citou nominalmente apenas o ministro Gilmar Mendes, mas não completou a frese.

“Gilmar Mendes... Eu não quero falar nomes, porque os nomes de vocês não merecem sair da minha boca", concluiu.

O vídeo de Batoré foi resgatado por internautas após a operação da Polícia Federal que cumpriu mandados de busca e apreensão na casa do cantor sertanejo Sérgio Reis. O mandado foi autorizado pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, e atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), que apura manifestações contra as instituições e a democracia.

No material, Reis aparece convocando caminhoneiros para realizarem paralisações em todo o Brasil para pressionar o STF. No vídeo, ele dizia que as paralisações deveriam acontecer dias antes do feriado de 7 de Setembro e que elas contariam com suporte como barracas e alimentação. Além do vídeo, foi divulgado um áudio em que o cantor afirma estar organizando uma manifestação para dar um “ultimato” ao Senado para aprovar o voto impresso e “tirar todos os ministros do STF”. “Não é um pedido, é uma ordem”, diz Sérgio Reis na gravação.

Em entrevista ao GLOBO, o cantor se disse arrependido da repercussão do vídeo, mas voltou a defender manifestações contra o STF.

— No dia 7 de setembro, vai ter essa mobilização. Uma movimentação muito grande na (avenida) Paulista. Uma movimentação muito grande em Brasília. Brasília vai fechar. Mas não sou eu que decido. Essas coisas que os ministros estão fazendo prejudicam muita gente. Soltar bandido? Isso não pode. Ou a lei é cumprida ou não é. Eu não sou juiz. Eu sou um cara do povo. Como povo, eu acho que tinha que ter o impeachment — afirmou Reis.

Procurado pela reportagem para comentar o caso, o humorista Ivanildo Gomes Nogueira ainda não se posicionou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos