Vídeo: agente do Serviço Secreto americano leva manifestante pró-aborto ao chão após ela se aproximar da carreata de Biden

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Um vídeo mostra uma manifestante pró-aborto sendo derrubada por um agente do Serviço Secreto em Los Angeles, no estado da Califórnia, conforme ela se aproximava da carreata do presidente dos EUA, Joe Biden, proferindo seus posicionamentos com um megafone, na última quarta-feira.

A rua onde ocorria a carreata, no centro da cidade, estava fechada para o evento. Quando a mulher foi para o meio dela, ficando bem perto dos carros, um agente rapidamente a alcançou, levando-a ao chão para imobilizá-la e algemá-la.

— Tire essa m* de mim! — exclamou a manifestante ao ser algemada. — Uma proibição do aborto não impedirá os abortos – apenas [proibirá] os [abortos] seguros.

Segundo um comunicado do chefe de comunicações do Serviço Secreto americano, Anthony Guglielmi, "pouco depois das 17h, uma mulher entrou em uma via restrita ao longo de uma rota de carreata em Chick Hearn Ct, em Los Angeles".

“Quando a mulher se aproximou dos veículos que passavam, um agente do Serviço Secreto dos EUA a removeu rapidamente da estrada e a colocou sob custódia. Não houve impacto no movimento da carreata ou em nossos protegidos. Nossa investigação sobre esse incidente está em andamento”, acrescentou.

Biden foi a Los Angeles para participar da IX Cúpula das Américas. Ele também apareceu no programa de TV Jimmy Kimmel Live! na noite de quarta-feira.

Diante da perspectiva de que a Suprema Corte derrube as garantias constitucionais que permitem o aborto, Biden se pronunciou favorável à manutenção desse direito às mulheres.

Ele prometeu agir para que a questão seja levada ao Congresso e levantou um debate existente no meio jurídico: uma das bases do julgamento conhecido como Roe vs. Wade, ligado ao direito ao aborto, é o “direito à privacidade”, algo que não está na Constituição e que pautou outras decisões sobre direitos individuais. Assim, há temores de que a revogação ao direito ao aborto nos EUA ponha em risco outros direitos conquistados com base no mesmo princípio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos